UEMASUL recepciona estudantes com aula Inaugural

A mais nova universidade pública do Brasil está com um pouco mais de 60 dias de criada, e em meio a planejamentos, obras e expansão, passa a ser realidade para toda a comunidade. Estruturada em dois campi, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão já deu início as aulas no Campus de Açailândia dia 6 de março e recepcionou os alunos da cidade com uma aula inaugural onde apresentou sua nova estrutura organizacional e os membros da administração superior.

No próximo dia 13 (segunda-feira) será a vez do Campus de Imperatriz dar início ao período letivo e também de realizar uma aula inaugural. “É um evento para recepcionar não só os novatos, mas também os alunos veteranos que até ano passado estavam ligados ao CESI-UEMA, mas que agora fazem parte da UEMASUL. Além de nos apresentar, é preciso explicar como vai funcionar esta nova instituição e sanar as dúvidas que possam existir sobre esse processo”, afirmou a reitora Elizabeth Nunes Fernandes.

A programação acontecerá nos três períodos, atendendo a todos os cursos do campus. A programação contará com as aulas magnas da Prof. Dra. Orleane Evangelista, egressa do antigo CESI-UEMA e que hoje é a Gestora Regional de Educação e docente da UEMASUL; do Prof. Dr. Fagno Soares, docente do IFMA de Açailândia, que também é egresso do CESI-UEMA e que ministrou a aula magna no Campus de Açailândia; e de Jhonatan Almada, secretário de estado da Ciência, Tecnologia e Inovação. “O objetivo é acolher e recepcionar os alunos no universo acadêmico, destacando aspectos específicos da educação superior e da prática profissional das licenciaturas e bacharelados”, explicou Expedito Barroso, vice-reitor da UEMASUL.

“É um grande honra de ser convidado para ministrar a aula Magna, e uma boa oportunidade para falar do papel da universidade no desenvolvimento regional pois estudos já comprovam que as universidades regionais tem uma grande contribuição para o processo de desenvolvimento das cidades e região onde estão instaladas, uma experiência comprovada na expansão da rede federal nos últimos 14 anos e a transformação que essa rede proporcionou nos municípios e regiões onde elas foram inseridos”, afirmou Jhonatan Almada. A programação contará também com apresentações musicais de Paulo Maciel, Anderson Lima e Zé Cláudio, todos egressos do CESI-UEMA.

UEMASUL – Obras no campus de Imperatriz motivam adequação do calendário acadêmico

Salas limpas, instalações elétricas funcionais, telhado e forro sem goteiras, banheiros adequados e corredores arejados. Basicamente um ambiente digno para receber alunos e professores, mas que infelizmente não era exatamente a realidade do antigo CESI/UEMA. A luta histórica por autonomia administrativa sempre foi a busca por meios dinâmicos e eficientes de oferecer uma universidade melhor para nossa região, e que culminou na criação da UEMASUL.

 

Se hoje, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão é uma realidade, o caminho até que ela esteja consolidada ainda é longo. “Somos uma nova instituição, com menos de dois meses de existência. Não começamos do zero, mas muitas coisas precisam ser refeitas e readequadas. Do Projeto Pedagógico Institucional, até o nosso prédio no campus de Imperatriz”, afirmou Elizabeth Nunes, reitora da UEMASUL.

 

Com cerca de 60% prédio sendo requalificado, o campus se tornou um grande canteiro de obras com dezenas de operários. “Novas salas estão sendo criadas para os setores administrativos e boa parte das salas de aula foram praticamente desmontadas, sendo reformadas do piso ao teto. Nesse sentido optamos por adiar o início das aulas para garantir maior conforto à comunidade acadêmica”, finalizou a reitora.

A determinação da administração superior é que o início das aulas seja adiado por uma semana, ficando marcada para o dia 13 de março, exclusivamente para o campus de Imperatriz. No campus de Açailândia o calendário continua o mesmo e as aulas iniciam dia 6 de março.

UEMASUL integrará Rede Ciência Maranhão

Iniciativa da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), a Rede Ciência Maranhão é uma proposta que visa integrar instituições e iniciativas ligadas a Ciência, Tecnologia e Inovação do estado. A rede será formada pelas Secretarias Municipais para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação, ou afins, e as instituições de ensino e da área científica e tecnológicas existentes no Maranhão.

 

A Rede de Secretarias Municipais de Ciência, Tecnologia e Inovação do Maranhão (RedeSMCTI) foi criada pela Portaria Nº 146/2015 durante o I Encontro Estadual dos Secretários Municipais de Ciência Tecnologia e Inovação. Ela contribui para organizar e apoiar a comunicação entre a Secretaria de Estado (Secti), Secretarias Municipais, Universidades e Institutos Tecnológicos de Ensino.

 

Na última semana, a SECTI cumpriu agenda em Imperatriz onde realizou duas reuniões de articular da Rede. A primeira reuniu os gestores municipais das cidades da região e a segunda, aconteceu na UEMASUL e reuniu representantes da UFMA, IEMA e UEMASUL. “A articulação dessa rede é fundamental para o desenvolvimento de pesquisas e projetos de inovação tecnológica em nosso estado e principalmente em nossa região”, afirmou Elizabeth Nunes, reitora da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão.

De acordo com a sua portaria de criação, dentre os objetivos da Rede Ciência Maranhão estão, o auxílio na formulação e implementação de políticas públicas voltadas para a Ciência, Tecnologia e Inovação, a articulação de Secretarias Municipais de Ciência, Tecnologia e Inovação junto ao Governo do Estado e Governo Federal e a realização de eventos e atividades para socialização de experiências e intercâmbio de informações quanto a programas, projetos e ações de Ciência, Tecnologia e Inovação.

UEMASUL firma parceria com UEMA e traz Mestrado em Ciências Agrárias para Imperatriz

Publicado na última quinta-feira (2), o edital de abertura do processo seletivo para o Curso de Mestrado em Agricultura e Meio Ambiente é resultado da parceira e cooperação entre a Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) e a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL).

Elaborado antes da implantação da UEMASUL, a criação do programa de pós-graduação teve participação efetiva de docentes que hoje estão lotados na mais nova instituição de ensino superior do Maranhão. São 15 vagas ofertadas, divididas entre o campus da UEMASUL em Imperatriz e o campus da UEMA em Balsas, e em nas linhas de pesquisa, “Manejo Sustentável e Produtividade de Ambientes Agrícolas” e “Restauração e Conservação de Ecossistemas”..

A Pós-Graduação em Agricultura e Meio Ambiente (PPGAA) é destinada a profissionais graduados em Agronomia, Engenharia Florestal, Ciências Biológicas e áreas afins. Segundo o professor José Roberto, coordenador do mestrado, o diálogo entre as duas instituição foi fundamental para que o projeto se tornasse viável. “É uma parceria muito salutar e quem ganha é toda a região. Além de professores, a UEMASUL também dará suporte com os seus laboratórios da área”, afirmou o coordenador.

As inscrições podem ser realizadas de forma presencial ou por meio de SEDEX, nas secretarias do PPGAA de Balsas e do campus de Imperatriz da UEMASUL. Além de entregar cópias de documentos e a ficha de inscrição preenchida, os candidatos deverão pagar uma taxa no valor de R$ 150,00, conforme descrito no edital do seletivo. As inscrições encerram no dia 3 de março.

O processo seletivo será dividido em duas fases. A primeira fase é uma prova escrita de conhecimentos específicos, prevista para ser realizada no dia 13 de março. A prova será composta por dez questões objetivas e subjetivas, sendo cada questão com o valor máximo de 1,0 ponto. Serão aprovados os candidatos obtiverem nota igual ou superior a 7,0. No mesmo dia, no período vespertino, será aplicada a prova de língua estrangeira.

A segunda fase, de caráter classificatório, constitui na arguição e defesa da carta de intenção e análise do Curriculum Vitae e acontece no período de 14 a 17 de março. O resultado final está previsto para ser divulgado no dia 28 de março. Os candidatos aprovados deverão realizar as matrículas nos dias 13 e 14 de abril. As aulas serão iniciadas no dia 17 de abril de 2017, em Imperatriz e Balsas.

UEMASUL Reitora Elizabeth Nunes faz visita ao campus de Açailândia

Instituída pela Lei nº 10525/2016 de 3 de novembro de 2016, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão foi implantada nos antigos Centros de Ensino de Superior de Imperatriz e Açailândia da UEMA. Hoje, os campi da UEMASUL nas duas cidades passam por um processo de requalificação do espaço físico e de reestruturação administrativa e para acompanhar o andamento dos trabalhos, a reitora Elizabeth Nunes realizou uma visita ao campus de Açailândia.

Criado em 2012, o Centro de Açailândia funcionava em um prédio cedido pela empresa Vale que em 2014 foi doada a UEMA. Hoje o centro foi transformado em um campus e conta com 3 cursos de graduação presenciais e outros 4 cursos na modalidade de ensino a distância e atende a 670 alunos da cidade e região. “O planejamento é que ainda no segundo semestre deste ano comece o curso de Engenharia Civil, que certamente é um grande ganho para a UEMASUL e para a cidade de Açailândia”, afirmou Elizabeth Nunes, reitora da universidade.

Na nova estrutura administrativa da UEMASUL, o campus de Açailândia sedia agora o Centro de Ciências Humanas, Sociais, Tecnológicas e Letras. Para diretor do centro foi nomeado o professor Christiano Aguiar e para vice-prefeita do campus a professora Ilaise Martins, ambos designados pela reitora Elizabeth Nunes. “Somos guiados pela medida provisória editada pelo Governo do Estado que estrutura administrativamente nossa universidade. A implantação da UEMASUL em Imperatriz e Açailândia é estratégica uma vez que existe uma proximidade que possibilita uma boa articulação, gerenciamento e consolidação”, afirmou a reitora.

O diretor de centro, professor Christiano Aguiar afirmou que a estrutura do campus de Açailândia é muito boa e que conta com uma boa equipe na parte administrativa. “Ainda é necessários alguns ajustes, como a desobstrução de salas, adequação do espaço de vivência e outras demandas que não irão atrapalhar o bom andamento das aulas neste semestre”, afirmou o diretor.

Professor da UFMA faz doação de livros para o acervo da UEMASUL

A Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão está sendo construída por muitos que sonharam com uma instituição de ensino superior que, com autonomia, pudesse pautar o desenvolvimento regional e a garantia de um ensino público, gratuito e de qualidade. Um sentimento de pertencimento e construção coletiva tem crescido entre a comunidade acadêmica e a sociedade em geral.

O professor Marcos Fábio Belo Matos, do curso de Jornalismo da UFMA, entregou, nesta segunda (30), dez exemplares do livro “Ecos da Modernidade: uma análise do discurso sobre o cinema ambulante em São Luís”. Os exemplares foram doados à biblioteca central da UEMASUL, em Imperatriz.

“Como o livro teve o financiamento da Fapema, via edital, eu tenho o compromisso de fazer a distribuição para bibliotecas públicas. Estou enviando, para todo o Brasil, três exemplares da obra para cada biblioteca. Mas aqui na UEMASUL resolvi deixar dez, como uma forma de ajudar a ampliar o acervo da nova universidade”, comentou.

O livro é o resultado da tese do pesquisador, defendida no doutorado em Linguística e Língua Portuguesa da Unesp-Araraquara, em 2010, e faz uma análise das estratégias discursivas utilizadas pela imprensa para apresentar o cinema ambulante como uma coisa moderna, no limiar do século XX. “O cinema era visto e vendido, então, como ‘a última maravilha do século’, por todos os jornais da época”, afirmou Marcos Fábio.

Segundo a Prof. Dr. Elizabeth Nunes, reitora da UEMASUL, existe um planejamento em médio prazo para a expansão da biblioteca da instituição e o gesto do professor Marcos Fábio antecipa a ação que envolve a adequação do espaço físico e a aquisição de novos títulos e exemplares. “É uma valiosa contribuição que tem uma força simbólica muito grande, pois a universidade é uma luta coletiva e o envolvimento da sociedade é fundamental”, afirmou a reitora.

CAMPANHA – O autor aproveitou para conclamar os autores da região a empreenderem uma campanha de doação de livros para o acervo da UEMASUL. “Se cada um dos autores da região doar uma cota de livros, teremos uma biblioteca muito rica em assuntos regionais, algo muito importante para uma universidade que se propõe a fomentar o estudo e a pesquisa local. E para nós, que queremos ter nossos livros descobertos”, sugeriu Marcos Fábio.