Reitoria mantém diálogo com movimento estudantil e atende reivindicações históricas

A luta pela criação da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão foi travada por vários segmentos da sociedade, entre eles estavam professores, estudantes, sindicatos e movimentos sociais. Neste sentido, a participação do movimento estudantil, com suas entidades e coletivos, foi fundamental para que essa conquista se tornasse real.

Hoje na UEMASUL, o protagonismo do movimento estudantil é uma diretriz da administração superior, que mantém diálogo constante com representações e coletivos estudantis. “Estamos promovendo reuniões sistemáticas desde o início do ano com os representantes dos discentes. Várias demandas históricas foram apresentadas em uma carta ao governador Flávio Dino, e em nossa última reunião com o movimento estudantil pudemos avaliar a evolução de nossa instituição no atendimento a estas reivindicações”, declarou Expedito Barroso, vice-reitor da UEMASUL.

A carta mencionada pelo vice-reitor foi entregue ao governador ainda em 2016, na oportunidade da assinatura da lei que criou a UEMASUL em Imperatriz. Dentre as reinvindicações estão: o aumento de pelo menos 20% de bolsas de pesquisa e extensão; criação de uma ouvidoria; reforma das instalações elétricas, hidráulicas e adequação do prédio as normas de acessibilidade. “Nós sabemos que as reivindicações são muitas e na medida do possível estão sendo atendidas”, afirmou Ray Miranda, representante do Centro Acadêmico de Ciências Biológicas.

Segundo a reitora Elizabeth Nunes Fernandes, algumas reivindicações são da ossada da instituição e devem ser atendidas em curto, médio ou longo prazo. Outras reivindicações dependem da articulação da universidade com outros órgãos. “Já garantimos 80 bolsas de iniciação científica para nossa universidade este ano, tendo um aumento de mais de 100% no número de bolsas ofertadas em relação ao ano passado, quando erámos CESI/UEMA. A adequação do prédio está a pleno vapor e em nossa estrutura administrativa, está criada a Ouvidoria, que certamente melhorará ainda mais no nosso diálogo com a comunidade acadêmica”, explicou a reitora.

A carta também traz pontos relacionados as estruturas curriculares dos cursos, criação de novos cursos, a criação de laboratórios, criação de espaços para atividades culturais e desportivas, entre outros. “Neste primeiro ano temos que planejar a UEMASUL para os próximos 5 anos. Iniciamos a construção do texto base do Plano de Desenvolvimento Institucional, que é o documento que guiará no crescimento e consolidação da instituição. E os estudantes são parte fundamental nesse processo”, finalizou Elizabeth.

Para Lucas Guimarães, acadêmico do curso de Administração e militante do movimento RUA, a criação da UEMASUL também representa o empoderamento do povo. “O distanciamento geográfico, político e institucional da Universidade centralizada em São Luís sempre foram nossos desafios de luta no movimento estudantil dentro da UEMA/CESI. Com a reitoria instalada dentro da própria instituição possibilitou que os diálogos de as nossas demandas estudantil se concretizasse, e que os estudantes participassem desse processo de transição”, afirmou.

Concurso para elaboração do brasão da UEMASUL tem inscrição prorrogada até dia 24

Prorrogado até dia 24 de março o prazo de inscrição para o concurso que vai escolher o brasão da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL), a primeira universidade regional do Estado. O concurso é uma iniciativa da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e a reitoria da universidade. O edital com as regras da chamada pública, que vai dá um prêmio ao vencedor de R$ 7 mil, está disponível no site da Secti – www.secti.ma.gov.br.

O envolvimento da sociedade na escolha do brasão da mais nova universidade do Maranhão segue as diretrizes do governo Flávio Dino, que tem realizado diálogos com a comunidade que é chamada a opinar sobre assuntos importantes em diferentes áreas. A chamada pública é aberta a pessoas físicas de todo o Brasil.

A participação no concurso, segundo o secretário Jhonatan Almada, é uma oportunidade ímpar, porque é a primeira universidade regional do Maranhão e a marca escolhida vai entrar para a história da universidade. “Nós temos o maior interesse que as pessoas possam se inscrever e mandar seus trabalhos que serão analisados por um júri técnico qualificado e nós queremos o mais rápido possível esse resultado”, disse o secretário da Secti, Jhonatan Almada.

Para a reitora da UEMASUL, Elizabeth Nunes Fernandes, a prorrogação vai ajudar a contemplar os alunos da instituição que estavam dispersos por conta das férias. “Como as aulas iniciaram dia 13, não houve tempo hábil para que os alunos interessado em participar pudessem produzir uma proposta ou até mesmo ajudar a divulgar entre outros possíveis candidatos. Queremos a participação maciça de nossa comunidade acadêmica pois tenho certeza que isso enriquecerá muito este concurso”, destacou Elizabeth.

MAIS SOBRE O CONCURSO

O edital permite a apresentação de até dois trabalhos por participante. As propostas devem atender requisitos como ser inéditas e não ter participado de nenhum outro concurso ou evento similar.

As propostas devem ser apresentadas em papel A4 no sentido vertical; possuir a identificação do autor, com cópia do RG, CPF, endereço completo, e-mail e telefone para contato; conter arquivo da marca em PDF, JPEG e CDR (Corel Draw), gravado em DVD; conter memorial descritivo com o máximo de 30 linhas; conter manual de aplicação do brasão, no formato PDF, com no máximo 20 páginas, considerando a utilização o brasão em mídia impressa e eletrônica, a exemplo de ofícios, banners e site institucionais, entre outras.

Os trabalhos deverão considerar na identificação do brasão a finalidade, conceito, contemporaneidade, aplicabilidade, criatividade, originalidade e comunicabilidade. As propostas deverão ser remetidas por carta registra, via correios, para a Avenida dos Holandeses, Quadra, 24, Lote 14- Ponta D`Areia – CEP: 65077-357- São Luís – MA, em nome da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Inovação/Concurso Brasão UEMASUL. A Comissão Julgadora será constituída pela Secti, UEMASUL e membros convidados.

*com contribuição da ASCOM/SECTI

Aula inaugural da UEMASUL marca nova fase do ensino superior na região tocantina

Nos três turnos o auditório do campus de Imperatriz esteve lotado de alunos, professores e convidados que foram prestigiar o primeiro dia de aula da mais nova universidade pública do Brasil. A UEMASUL já tem pouco mais de 70 dias de funcionamento e em meio a planejamentos, obras e expansão, com a aula inaugural, passa a ser realidade para toda a comunidade.

Com as salas de aula reformadas e tudo pronto para o início do período letivo, os alunos foram acolhidos com uma programação que tinha como um dos objetivos, apresentar a nova instituição aos alunos. “Já deu para perceber a mudança, principalmente nas salas de aula que já estão melhores. Foi muito importante a gente conhecer como vai funcionar a UEMASUL e quem está a frente dessa mudança”, afirmou Marcelo Lima, que cursa o 3°  período de Administração.

As aulas magnas, além de simbólicas e festivas, também foram informativas e ajudaram os alunos calouros a se ambientarem ao convívio acadêmico. Carlos Alves é calouro e achou muito positiva o evento. “No início a gente fica meio deslocado, tentando entender o que está acontecendo. Quando a gente vê a instituição se preparando para nos receber, a gente se sente mais integrados”, afirmou.

Para a reitora da UEMASUL, Elizabeth Nunes Fernandes, a avaliação do evento é extremamente positiva. “Além da participação dos professores Dra. Orleane Evangelista e Dr. Fagno Soares, a presença do secretário de estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, Jhonatan Almada, mostra que a UEMASUL ocupa um lugar de protagonismo quando falamos de engajamento da comunidade e do governo do estado” afirmou a reitora. “Quando em uma aula inaugural os alunos do antigo CESI/UEMA tiveram a presença de um secretário de estado ou do reitor da instituição?”, questionou a reitora, mostrando que a autonomia e a regionalização do ensino superior é uma conquista que já começa a trazer bons frutos.

Cooperação Institucional

Ao tomar posse como reitora pro tempore, Elizabeth Nunes Fernandes assinou um termo de cooperação entre UEMASUL e SECTI. Ao fim de sua aula magna, Jhonatan Almada anunciou diversos benefícios para a UEMASUL. “Já entregamos 5 notebooks novos para a administração superior, e vamos entregar 4 novos laboratórios básicos montados, 500 livros novos para a biblioteca. Além disso vamos garantir 4 bolsas exclusivas para UEMASUL no programa Inácio Rangel e incluir a instituição no programa RNP de banda larga”, finalizou o secretário.

Outro termo de cooperação foi assinado na oportunidade, mas desta vez entre UEMASUL e FAPEMA. O termo garante uma parceria por 5 anos, onde a Fundação de Amparo à Pesquisa e Desenvolvimento Científico do Maranhão se compromete em colaborar com o desenvolvimento e consolidação da UEMASUL. “É com muito orgulho que anunciamos que fruto deste termo, vamos oferecer 80 bolsas de iniciação científica para UEMASUL. Serão 40 através da FAPEMA e outras 40 com orçamento próprio. Saímos de apenas 37 bolsas enquanto CESI/UEMA ano passado para 80. Sem dúvida vivemos um novo tempo!”, finalizou Elizabeth Nunes Fernandes.

UEMASUL recepciona estudantes com aula Inaugural

A mais nova universidade pública do Brasil está com um pouco mais de 60 dias de criada, e em meio a planejamentos, obras e expansão, passa a ser realidade para toda a comunidade. Estruturada em dois campi, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão já deu início as aulas no Campus de Açailândia dia 6 de março e recepcionou os alunos da cidade com uma aula inaugural onde apresentou sua nova estrutura organizacional e os membros da administração superior.

No próximo dia 13 (segunda-feira) será a vez do Campus de Imperatriz dar início ao período letivo e também de realizar uma aula inaugural. “É um evento para recepcionar não só os novatos, mas também os alunos veteranos que até ano passado estavam ligados ao CESI-UEMA, mas que agora fazem parte da UEMASUL. Além de nos apresentar, é preciso explicar como vai funcionar esta nova instituição e sanar as dúvidas que possam existir sobre esse processo”, afirmou a reitora Elizabeth Nunes Fernandes.

A programação acontecerá nos três períodos, atendendo a todos os cursos do campus. A programação contará com as aulas magnas da Prof. Dra. Orleane Evangelista, egressa do antigo CESI-UEMA e que hoje é a Gestora Regional de Educação e docente da UEMASUL; do Prof. Dr. Fagno Soares, docente do IFMA de Açailândia, que também é egresso do CESI-UEMA e que ministrou a aula magna no Campus de Açailândia; e de Jhonatan Almada, secretário de estado da Ciência, Tecnologia e Inovação. “O objetivo é acolher e recepcionar os alunos no universo acadêmico, destacando aspectos específicos da educação superior e da prática profissional das licenciaturas e bacharelados”, explicou Expedito Barroso, vice-reitor da UEMASUL.

“É um grande honra de ser convidado para ministrar a aula Magna, e uma boa oportunidade para falar do papel da universidade no desenvolvimento regional pois estudos já comprovam que as universidades regionais tem uma grande contribuição para o processo de desenvolvimento das cidades e região onde estão instaladas, uma experiência comprovada na expansão da rede federal nos últimos 14 anos e a transformação que essa rede proporcionou nos municípios e regiões onde elas foram inseridos”, afirmou Jhonatan Almada. A programação contará também com apresentações musicais de Paulo Maciel, Anderson Lima e Zé Cláudio, todos egressos do CESI-UEMA.

UEMASUL – Obras no campus de Imperatriz motivam adequação do calendário acadêmico

Salas limpas, instalações elétricas funcionais, telhado e forro sem goteiras, banheiros adequados e corredores arejados. Basicamente um ambiente digno para receber alunos e professores, mas que infelizmente não era exatamente a realidade do antigo CESI/UEMA. A luta histórica por autonomia administrativa sempre foi a busca por meios dinâmicos e eficientes de oferecer uma universidade melhor para nossa região, e que culminou na criação da UEMASUL.

 

Se hoje, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão é uma realidade, o caminho até que ela esteja consolidada ainda é longo. “Somos uma nova instituição, com menos de dois meses de existência. Não começamos do zero, mas muitas coisas precisam ser refeitas e readequadas. Do Projeto Pedagógico Institucional, até o nosso prédio no campus de Imperatriz”, afirmou Elizabeth Nunes, reitora da UEMASUL.

 

Com cerca de 60% prédio sendo requalificado, o campus se tornou um grande canteiro de obras com dezenas de operários. “Novas salas estão sendo criadas para os setores administrativos e boa parte das salas de aula foram praticamente desmontadas, sendo reformadas do piso ao teto. Nesse sentido optamos por adiar o início das aulas para garantir maior conforto à comunidade acadêmica”, finalizou a reitora.

A determinação da administração superior é que o início das aulas seja adiado por uma semana, ficando marcada para o dia 13 de março, exclusivamente para o campus de Imperatriz. No campus de Açailândia o calendário continua o mesmo e as aulas iniciam dia 6 de março.

UEMASUL integrará Rede Ciência Maranhão

Iniciativa da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), a Rede Ciência Maranhão é uma proposta que visa integrar instituições e iniciativas ligadas a Ciência, Tecnologia e Inovação do estado. A rede será formada pelas Secretarias Municipais para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação, ou afins, e as instituições de ensino e da área científica e tecnológicas existentes no Maranhão.

 

A Rede de Secretarias Municipais de Ciência, Tecnologia e Inovação do Maranhão (RedeSMCTI) foi criada pela Portaria Nº 146/2015 durante o I Encontro Estadual dos Secretários Municipais de Ciência Tecnologia e Inovação. Ela contribui para organizar e apoiar a comunicação entre a Secretaria de Estado (Secti), Secretarias Municipais, Universidades e Institutos Tecnológicos de Ensino.

 

Na última semana, a SECTI cumpriu agenda em Imperatriz onde realizou duas reuniões de articular da Rede. A primeira reuniu os gestores municipais das cidades da região e a segunda, aconteceu na UEMASUL e reuniu representantes da UFMA, IEMA e UEMASUL. “A articulação dessa rede é fundamental para o desenvolvimento de pesquisas e projetos de inovação tecnológica em nosso estado e principalmente em nossa região”, afirmou Elizabeth Nunes, reitora da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão.

De acordo com a sua portaria de criação, dentre os objetivos da Rede Ciência Maranhão estão, o auxílio na formulação e implementação de políticas públicas voltadas para a Ciência, Tecnologia e Inovação, a articulação de Secretarias Municipais de Ciência, Tecnologia e Inovação junto ao Governo do Estado e Governo Federal e a realização de eventos e atividades para socialização de experiências e intercâmbio de informações quanto a programas, projetos e ações de Ciência, Tecnologia e Inovação.

UEMASUL firma parceria com UEMA e traz Mestrado em Ciências Agrárias para Imperatriz

Publicado na última quinta-feira (2), o edital de abertura do processo seletivo para o Curso de Mestrado em Agricultura e Meio Ambiente é resultado da parceira e cooperação entre a Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) e a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL).

Elaborado antes da implantação da UEMASUL, a criação do programa de pós-graduação teve participação efetiva de docentes que hoje estão lotados na mais nova instituição de ensino superior do Maranhão. São 15 vagas ofertadas, divididas entre o campus da UEMASUL em Imperatriz e o campus da UEMA em Balsas, e em nas linhas de pesquisa, “Manejo Sustentável e Produtividade de Ambientes Agrícolas” e “Restauração e Conservação de Ecossistemas”..

A Pós-Graduação em Agricultura e Meio Ambiente (PPGAA) é destinada a profissionais graduados em Agronomia, Engenharia Florestal, Ciências Biológicas e áreas afins. Segundo o professor José Roberto, coordenador do mestrado, o diálogo entre as duas instituição foi fundamental para que o projeto se tornasse viável. “É uma parceria muito salutar e quem ganha é toda a região. Além de professores, a UEMASUL também dará suporte com os seus laboratórios da área”, afirmou o coordenador.

As inscrições podem ser realizadas de forma presencial ou por meio de SEDEX, nas secretarias do PPGAA de Balsas e do campus de Imperatriz da UEMASUL. Além de entregar cópias de documentos e a ficha de inscrição preenchida, os candidatos deverão pagar uma taxa no valor de R$ 150,00, conforme descrito no edital do seletivo. As inscrições encerram no dia 3 de março.

O processo seletivo será dividido em duas fases. A primeira fase é uma prova escrita de conhecimentos específicos, prevista para ser realizada no dia 13 de março. A prova será composta por dez questões objetivas e subjetivas, sendo cada questão com o valor máximo de 1,0 ponto. Serão aprovados os candidatos obtiverem nota igual ou superior a 7,0. No mesmo dia, no período vespertino, será aplicada a prova de língua estrangeira.

A segunda fase, de caráter classificatório, constitui na arguição e defesa da carta de intenção e análise do Curriculum Vitae e acontece no período de 14 a 17 de março. O resultado final está previsto para ser divulgado no dia 28 de março. Os candidatos aprovados deverão realizar as matrículas nos dias 13 e 14 de abril. As aulas serão iniciadas no dia 17 de abril de 2017, em Imperatriz e Balsas.

UEMASUL Reitora Elizabeth Nunes faz visita ao campus de Açailândia

Instituída pela Lei nº 10525/2016 de 3 de novembro de 2016, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão foi implantada nos antigos Centros de Ensino de Superior de Imperatriz e Açailândia da UEMA. Hoje, os campi da UEMASUL nas duas cidades passam por um processo de requalificação do espaço físico e de reestruturação administrativa e para acompanhar o andamento dos trabalhos, a reitora Elizabeth Nunes realizou uma visita ao campus de Açailândia.

Criado em 2012, o Centro de Açailândia funcionava em um prédio cedido pela empresa Vale que em 2014 foi doada a UEMA. Hoje o centro foi transformado em um campus e conta com 3 cursos de graduação presenciais e outros 4 cursos na modalidade de ensino a distância e atende a 670 alunos da cidade e região. “O planejamento é que ainda no segundo semestre deste ano comece o curso de Engenharia Civil, que certamente é um grande ganho para a UEMASUL e para a cidade de Açailândia”, afirmou Elizabeth Nunes, reitora da universidade.

Na nova estrutura administrativa da UEMASUL, o campus de Açailândia sedia agora o Centro de Ciências Humanas, Sociais, Tecnológicas e Letras. Para diretor do centro foi nomeado o professor Christiano Aguiar e para vice-prefeita do campus a professora Ilaise Martins, ambos designados pela reitora Elizabeth Nunes. “Somos guiados pela medida provisória editada pelo Governo do Estado que estrutura administrativamente nossa universidade. A implantação da UEMASUL em Imperatriz e Açailândia é estratégica uma vez que existe uma proximidade que possibilita uma boa articulação, gerenciamento e consolidação”, afirmou a reitora.

O diretor de centro, professor Christiano Aguiar afirmou que a estrutura do campus de Açailândia é muito boa e que conta com uma boa equipe na parte administrativa. “Ainda é necessários alguns ajustes, como a desobstrução de salas, adequação do espaço de vivência e outras demandas que não irão atrapalhar o bom andamento das aulas neste semestre”, afirmou o diretor.

Professor da UFMA faz doação de livros para o acervo da UEMASUL

A Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão está sendo construída por muitos que sonharam com uma instituição de ensino superior que, com autonomia, pudesse pautar o desenvolvimento regional e a garantia de um ensino público, gratuito e de qualidade. Um sentimento de pertencimento e construção coletiva tem crescido entre a comunidade acadêmica e a sociedade em geral.

O professor Marcos Fábio Belo Matos, do curso de Jornalismo da UFMA, entregou, nesta segunda (30), dez exemplares do livro “Ecos da Modernidade: uma análise do discurso sobre o cinema ambulante em São Luís”. Os exemplares foram doados à biblioteca central da UEMASUL, em Imperatriz.

“Como o livro teve o financiamento da Fapema, via edital, eu tenho o compromisso de fazer a distribuição para bibliotecas públicas. Estou enviando, para todo o Brasil, três exemplares da obra para cada biblioteca. Mas aqui na UEMASUL resolvi deixar dez, como uma forma de ajudar a ampliar o acervo da nova universidade”, comentou.

O livro é o resultado da tese do pesquisador, defendida no doutorado em Linguística e Língua Portuguesa da Unesp-Araraquara, em 2010, e faz uma análise das estratégias discursivas utilizadas pela imprensa para apresentar o cinema ambulante como uma coisa moderna, no limiar do século XX. “O cinema era visto e vendido, então, como ‘a última maravilha do século’, por todos os jornais da época”, afirmou Marcos Fábio.

Segundo a Prof. Dr. Elizabeth Nunes, reitora da UEMASUL, existe um planejamento em médio prazo para a expansão da biblioteca da instituição e o gesto do professor Marcos Fábio antecipa a ação que envolve a adequação do espaço físico e a aquisição de novos títulos e exemplares. “É uma valiosa contribuição que tem uma força simbólica muito grande, pois a universidade é uma luta coletiva e o envolvimento da sociedade é fundamental”, afirmou a reitora.

CAMPANHA – O autor aproveitou para conclamar os autores da região a empreenderem uma campanha de doação de livros para o acervo da UEMASUL. “Se cada um dos autores da região doar uma cota de livros, teremos uma biblioteca muito rica em assuntos regionais, algo muito importante para uma universidade que se propõe a fomentar o estudo e a pesquisa local. E para nós, que queremos ter nossos livros descobertos”, sugeriu Marcos Fábio.