UEMASUL participa da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, em Timon

O maior evento de divulgação científica do Maranhão, a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), será realizada este ano na cidade de Timon, de 25 a 28 de outubro com o tema “A matemática está em tudo”, por meio da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti).

A UEMASUL estará representada por uma equipe de 120 pessoas; a reitora Elizabeth Nunes Fernandes, professores e 97 acadêmicos. Durante dos três dias do vento os professores e estudantes irão realizar palestras, minicursos, mesas redondas, mostras científicas, workshop e apresentação de pôsteres.

A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia tem o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), e o seu principal objetivo é ser uma ferramenta de popularização e difusão da ciência em todo o Maranhão.

A  feira está em lugar de destaque entre os eventos realizados no Brasil, conseguiu a 2ª colocação entre os estados do Nordeste e a 6ª do Brasil no ranking do Ministério de Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações. A Semana Tecnológica se tornou itinerante de acordo com as ações do Governador Flávio Dino, que são de regionalização das suas atividades. A primeira foi realizada em São Luís, a segunda em Imperatriz e agora será sediada na cidade de Timon.

Durante quatro dias Timon será a “Cidade da Ciência” e receberá pesquisadores, professores e estudantes de todo o Maranhão e de outros estados que irão apresentar as novidades na área da ciência, tecnologia e inovação. A “Cidade da Ciência”, espaço onde acontecerão oficinas, minicursos, apresentações de pôsteres, apresentações de protótipos e mostras científicas, entre outras atividades, irá ocupar uma área de 4.800 metros quadrados. Confira a programação.

I Fórum de Engenharia Civil – Campus Açailândia

PROGRAMAÇÃO:

Dia 26 de outubro (quinta-feira)

ABERTURA – PALESTRA 

SALA 08 – Horário 08h30 – 09h30

O Sistema Profissional da Engenharia: Atribuições e as Responsabilidades Profissionais

Palestrante: Prof. Esp. Wagner Nascimento – Eng.  Civil / Inspetor CREA Regional / Açailândia – MA

MINICURSO 1:

SALA 07 – Horário 09h30 – 11h30

Introdução ao MS Project – Gerenciamento de Projetos

Palestrante: Profª Esp.

Renata Veríssimo  C. Lima – Engª. Civil / Consultora e Instrutora VM Engenharia

MINICURSO 2:

SALA 08 – Horário 09h30 – 11h30

NR 18 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção

Palestrante: Prof. Esp. Roberto Carlos / UEMASUL

PALESTRA

Sala 08 – Horário 13h30 – 15h30

Plano de Emergência/Combate a Incêndio

Palestrante: Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA)

TREINAMENTO

Sala 08 – Horário 15h30 – 17h30

Utilização de Extintores

Orientação: Corpo de Bombeiros

Primeira etapa do PAES-2018 acontece dia 22 de outubro

A Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), realiza neste domingo (22), a primeira etapa do Processo Seletivo de Acesso à Educação Superior-PAES 2018.  O PAES é o principal meio de ingresso dos estudantes ao ensino superior. Na UEMASUL, serão oferecidas 565 vagas para 2018, distribuídas para os campi de Imperatriz e Açailândia.

Nesta primeira etapa do PAES 2018, será aplicada uma prova constituída com 60 questões objetivas de múltipla escolha, que abrangem os conteúdos programáticos dos componentes curriculares que integram o Ensino Médio.  Já na segunda etapa, dia 26 de novembro, os estudantes aprovados na primeira, farão uma avaliação constituída de 12 questões analíticas discursivas, que incluem conteúdos do Ensino Médio específico do curso e  redação.

O estudante do cursinho popular da UEMASUL, Thiago Sousa, deseja ingressar no curso de História, e conta um pouco da sua expectativa em relação à prova. “ Estou um pouco nervoso, mas bastante confiante para a prova e principalmente pela aprovação. Acredito que é o sonho de todos os estudantes, ingressar no ensino superior. Então durante este ano consegui me preparar tanto para a prova da UEMASUL, quanto para o ENEM”, afirma.

Dia da Prova-  A primeira etapa do PAES 2018, acontece no dia 22 de outubro, das 13 às 18 horas, com cinco horas de duração. Os candidatos devem comparecer ao local de prova com antecedência de uma hora e apresentar obrigatoriamente um documento de identificação original com foto, como Identidade (RG), Carteira Nacional de Habilitação (CNH) com fotografia, Passaporte, Carteira de Trabalho e Previdência Social.  Não será permitido o uso de lápis, caneta de material não transparente, borrachas, livros, manuais, anotações e quaisquer dispositivos eletrônicos.

Açailândia– A Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão informa que os candidatos inscritos no Processo Seletivo de Acesso à Educação Superior – PAES 2018 para realizar a prova em Açailândia, na Escola Municipal Jurgleide Alves Sampaio foram transferidos para realizar a prova no CE Antônio Carlos Beckman, localizada na Rua Marly Sarney, s/n, bairro Centro, não havendo necessidade de imprimir novo cartão de inscrição.
A UEMASUL informa ainda que os demais locais de prova permanecem confirmados, seguindo sem alteração.

Para mais informações acesse o edital do PAES 2018

 

Pesquisa analisa perfil socioeconômico dos universitários da UEMASUL

A Universidade Estadual da Região Tocantina (UEMASUL) divulgou esta semana o perfil socioeconômico dos seus acadêmicos, englobando os campi de Imperatriz e Açailândia. O documento foi elaborado com os resultados da pesquisa feita pela Divisão de Serviço Social e Médico que aplicou questionário socioeconômico entre junho e setembro de 2017. O perfil socioeconômico tem o papel de retratar circunstâncias, situações e elementos sociais e culturais; e analisar com descrições detalhadas aspectos importantes da comunidade acadêmica.

O questionário aplicado envolveu variáveis qualitativa e quantitativa e foi respondido por 1.034 acadêmicos, representando o universo de 44,16 % dos acadêmicos matriculados nos 17 cursos ofertados pela instituição. O Diretório Central dos Estudantes Josias Morais (DCE-JM) teve papel fundamental na elaboração do documento, participando ativamente da aplicação do questionário. “É um documento muito importante para que a universidade possa elaborar políticas mais efetivas de assistência estudantil, conhecendo de forma mais profunda quem são os estudantes da instituição”, afirmou Luciana Almeida, coordenadora da Divisão Ecológica do DCE.

Para traçar o perfil socioeconômico dos acadêmicos, foram selecionados os ítens: sexo, cor/etnia, religião, estado civil, bairro e cidade onde mora, cidade e estado de nascimento, modo de inclusão na universidade, fatores que pesaram para ingresso na UEMASUL e na opção de curso, antecedentes escolares, principal fonte de conhecimentos gerais e específicos, meios de acesso à internet, composição familiar, se há pessoas com algum tipo de deficiência na família, se participa da renda familiar, se é bolsista, se a família possui bens, situação de moradia, meio de transporte que utiliza para ir à universidade, se trabalha com ou sem carteira assinada.

Dentre os dados, chamou a atenção o percentual de gênero, que mostra um quantitativo maior de mulheres com acesso aos cursos ofertados na UEMASUL: 61,90% em relação ao público masculino que indicou 31,10%, e também relacionando a cor/etnia onde negros e pardos somam mais de 60% dos estudantes. A acadêmica Ana Paula Lopes do curso de Química está no segundo período, se autodeclara negra, é egressa de escola pública e representa a grande maioria dos acadêmicos da instituição. “Confesso que fiquei admirada com a quantidade de mulheres negras dentro da universidade e também com a forma que elas afirmam sua identidade através do cabelo afro”, declarou a estudante.

A assistente social Conceição de Maria Amorim explica que as informações obtidas por meio do perfil socioeconômico mostram elementos determinantes para a definição de políticas, programas e projetos que  garantam a permanência e conclusão do curso, por parte das acadêmicas (os) em situação de vulnerabilidade socioeconômica. “Através desses dados reais, é possível efetivar ações que minimizem as dificuldades diárias de muitos membros da comunidade estudantil, favorecendo condições dignas e saudáveis para a permanência até a conclusão do curso superior, incluindo-os nos programas e projetos internos da instituição, assim como nos programas implementados por órgãos públicos ou organizações não governamentais”.

Para a reitora da UEMASUL, Elizabeth Nunes Fernandes, o documento é de extrema importância para o momento histórico da instituição. “Sendo uma instituição criada há pouco tempo, esses dados são extremamente importantes quando se pensam ações de inclusão social dentro de uma universidade regional, situada em uma região formada por municípios com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)”, declarou a reitora.

A reitora destacou também o dado que mostra que 20,60% dos estudantes não possuem computador em casa e 11,99% possuem computador, mas sem acesso à internet. “Era uma realidade latente, tanto que em parceria com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Governo do Estado implantamos laboratórios de informática nos dois campi, com 21 computadores cada, disponíveis nos três turnos”, finalizou.

O Perfil socioeconômico e cultural das (os) acadêmicas (os) da UEMASUL está disponível na íntegra no endereço: http://uemasul.edu.br/perfilsocioeconomico.php

Nota de Pesar

É com pesar que recebemos a notícia do falecimento do sr. Raimundo Soares, pai da professora Roza Maria Soares da Silva. A comunidade acadêmica da UEMASUL lamenta o ocorrido e se solidariza com seus familiares.

UEMASUL promove a III Semana de Estudos Florestais

O curso de Engenharia Florestal, com o apoio do Centro de Ciências Agrárias (CCA), promove dos dias 15 a 21 de outubro de 2017, na Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL), a III Semana de Estudos Florestais (SEF). Neste sentido, a UEMASUL realizou no último domingo (15), a solenidade de abertura do evento, com a presença da Reitora da instituição.

Sendo um evento de âmbito nacional, a Semana de Estudos Florestais tem o objetivo de contribuir com a formação acadêmica pela troca de experiências e debates entre os profissionais e estudantes da área de Engenharia Florestal e outros interessados no setor florestal.  Na programação da semana, os estudantes e profissionais podem participar de palestras, minicursos e atividades culturais, todos os dias.

Para a reitora da UEMASUL, Elizabeth Nunes Fernandes, a Semana de Estudos Florestais é um evento de grande importância, tanto para o curso que está na organização, quanto para a instituição. “Estamos com aproximadamente 10 meses de criação da UEMASUL, então a realização deste evento de Engenharia Florestal, representa uma conquista para instituição. A semana é de extrema relevância, não só para os estudantes e profissionais da área, mas para toda a sociedade, pois o que se discute aqui, é o destino das nossas florestas. Quero agradecer todos os patrocinadores, professores e estudantes que estão ajudando para que este evento aconteça”, destacou.

A estudante Esther Bandeira de Castro, faz parte da Comissão organizadora do evento e falou sobre a semana de estudos, considerada um intercâmbio entre várias regiões do país pela troca de conhecimentos. “Um dos principais objetivos do evento é o de passar conhecimento de florestas e fortalecer a formação universitária e profissional. O nosso curso é único no Maranhão e tem a função de abastecer todos os setores que necessitem do profissional Engenheiro Florestal. Outro objetivo é de fortalecimento pela troca de conhecimentos, já que nossos convidados são profissionais de diversas regiões:  três de Curitiba, um representante da EMBRAPA de Mato Grosso e os demais de cidades do estado do Pará”.

O evento segue até no próximo sábado (21), e toda a programação pode ser conferida no link  https://www.uemasulsef.com/programacao

 

Ampare, UEMASUL e UFMA promovem o primeiro dia do aulão beneficente

Com o objetivo de angariar fundos para dar suporte a pessoas em tratamento do câncer em Imperatriz, a Associação de Amparo aos Pacientes de Câncer da Região Tocantina (Ampare), em parceria com a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL), e a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), realizam nesta sexta feira (13), o primeiro dia do Aulão Beneficente.  O evento conta com aulas de revisão para a redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), e as obras literárias para o vestibular da UEMASUL.

As aulas estão sendo ministradas por professores voluntários, mestres e doutores da UEMASUL e UFMA.  A voluntária e professora do curso de letras da UEMASUL, Mônica Mourão, que ministrou a aula do primeiro dia, sobre as obras literárias “Dias e dias” e “Reunião de poesias”, ressalta a importância desta atividade, como uma forma de ajudar os estudantes, e os pacientes que lutam contra o câncer na cidade. “O aulão veio para somar, pois na medida em que os estudantes investem uma quantia, na intenção de adquirir conhecimento, automaticamente eles ajudam as pessoas que sofrem com o câncer em Imperatriz”, afirma.

A estudante do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Ifma), Raissa Araújo, revela que veio para o aulão na intenção de aprender e principalmente de ajudar as pessoas que batalham contra o câncer. “Além de participar e ter a oportunidade de me preparar para os vestibulares, o intuito maior de estar aqui, é realmente de ajudar os pacientes que tem câncer”, destaca.

A voluntária da Ampare e uma das organizadoras do aulão, Maria José, destacou a importância da realização do aulão para a Ampare. “A ampare acolhe várias pessoas que lutam contra o câncer em Imperatriz, então tudo que for arrecado servirá para mantê-los na casa de apoio da instituição. Agradeço a todos os estudantes que estão contribuindo e aos professores que se dispuseram a ajudar”, finaliza.

A programação do aulão continua na próxima terça feira (17), às 18h30 no auditório da UEMASUL, com a aula de revisão das obras literárias, e na próxima quinta feira (19), o professor Drº Marcos Fábio Belo, da Ufma, ministrará a aula sobre redação.

EDITAL IGNÁCIO RANGEL – UEMASUL receberá 6 doutores na categoria professor visitante

Uma iniciativa do Governo do Maranhão por meio da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), o Programa de Apoio a Pesquisas Voltadas ao Desenvolvimento – Ignácio Rangel selecionou através de edital público 15 pesquisadores doutores de todo o Brasil que desenvolverão suas pesquisas nas universidades maranhenses.

O edital tem como objetivo apoiar projetos de pesquisas voltados aos estudos e proposições sobre questões estratégicas para o desenvolvimento do Brasil e do Maranhão, resultando na produção de subsídios ao Poder Público nas esferas federal, estadual e municipal. A Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL) receberá 6 pesquisadores que se integrarão em atividades de ensino, pesquisa e extensão da instituição. “Será um grande avanço para a UEMASUL uma vez que estes seis doutores estarão em sala de aula, nos laboratórios e contribuindo com os nossos projetos e eventos científicos”, afirmou a reitora da UEMASUL, Elizabeth Nunes Fernandes.

De acordo com o governador Flávio Dino, o edital Ignácio Rangel nasceu de uma inquietação quanto às várias pobrezas existentes. “Há várias pobrezas que devemos combater num estado tão massacrado como o Maranhão. Uma delas é, sem dúvida, estar na limitação do debate de ideias. E é isso que buscamos fomentar, apoiando as nossas universidades, garantindo que a Fapema cumpra a sua missão e dobrando o número de bolsas de pós-graduação no estado, porque acreditamos na importância dessas ações relativas à ciência e à tecnologia para combater todas as formas de pobreza e o edital Ignácio Rangel tem esse propósito”, destacou o governador na cerimônia de assinatura e entrega dos termos de outorga dos contemplados.

Um dos aprovados foi William de Jesus Ericeira Mochel Filho, que tem doutorado em Zootecnia pela Universidade Federal do Ceará.. Ele apresentou a proposta pesquisar a integração lavoura-pecuária-floresta. “O título do meu projeto é ‘Fisiologia, características estruturais, produção de forragem e características do solo sob pastagem de capim-massai em sistema de integração lavoura-pecuária-floresta na Amazônia maranhense’, e um dos objetivos do meu projeto é estudar a mitigação dos gases do efeito estufa, contextualizando com a realidade regional”, afirmou.

I Colóquio de História da Educação na UEMASUL

O Núcleo de Estudos em Políticas e História da Educação – NEPHE, da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL) promove o I Colóquio de História da Educação, dias 30 e 31 de outubro. O tema: “Reforma Protestante 500 anos: diálogo inter-religioso, direitos humanos e educação” irá promover o debate e a reflexão crítica em torno da necessidade do diálogo entre as religiões, a reafirmação dos direitos humanos e as possibilidades de construções teórico-metodológicas oferecidas pelo campo religioso.

A programação será desenvolvida por meio de palestras, minicursos e mesas redondas, com preletores de Imperatriz e São Luís para alunos de graduação e pós-graduação nas áreas das ciências humanas e sociais aplicadas e comunidade em geral.

As inscrições terão um custo de R$ 15,00 e podem ser realizadas pelo link: Ficha de inscrição  e/ou pelo email:   nephecoloquioreforma@uemasul.edu.br. O pagamento das inscrições online será efetuado no credenciamento.

O envio dos resumos  deverá ser realizado até o dia 27/10/2017 pelo email do evento citado acima usando o papel timbrado disponível aqui.

Regras para a submissão:

-Resumo simples de 300 a 350 palavras;

-Parágrafo único, sem recuo, espaço entrelinhas simples;

-Título centralizado, em caixa alta e negrito;

-Autor em itálico, justificado à direita, com filiação institucional entre parênteses, com email abaixo do nome. Serão aceitos até dois autores.

-O resumo deve apresentar o tema da pesquisa, objetivos, metodologias e apontamentos sobre resultados obtidos.

-Palavras-chave: três (3).

Programação:

Dia 30

8:00h- Credenciamento

9:00h – Cerimônia de abertura

9:30h – Palestra: “Rede capuchinha no Maranhão: contribuições e controvérsias” – Profa. Dra. Maria Aparecida Custódio Correa.

10:20h – Intervalo

10:30h – Mesa redonda: “Educação, Protestantismo e Catolicismo no interior do Maranhão: a questão dos internatos  e das escolas paroquiais” – Profª Drª Mariléia dos Santos Cruz; Profª Mª Elizânia Nascimento; Profª Esp. Janeth Carvalho.

14:00h: Minicursos (primeiro momento)

Educação e religiosidade: O ensino religioso é legal?  – Profa. Dra. Vanda Pantoja

Introdução à paleografia – Profa. Dra. Kelly Lislie Julio

Heresia e Inquisição: os movimentos reformistas do século XIIProf. Me. Fabrício Moura

Reforma Protestante: gênero e religiãoProfa. Ma. Elizânia Nascimento (inscrições esgotadas).

17:30 –  Apresentações orais

Eixos Temáticos:

Gênero e Religião

Ensino Religioso

História e Religião

História da Educação e Ensino Religioso

Dia 31

9:00h – Palestra: “Lutero, um católico” – Prof. Dr. Marcus Baccega

10:20h – Mesa redonda: “Reforma Protestante 500 anos: diálogo inter-religioso e direitos humanos” – Prof. Dr. Lyndon de A. Santos; Prof. Dr. Marcus Baccega; Prof. Dr. Gamaliel Carreiro.

14:00h: Minicursos (segundo momento)

Educação e religiosidade: O ensino religioso é legal?  – Profa. Dra. Vanda Pantoja

Introdução à paleografia – Profa. Dra. Kelly Lislie Julio

Heresia e Inquisição: os movimentos reformistas do século XIIProf. Me. Fabrício Moura

Reforma Protestante: gênero e religiãoProfa. Ma. Elizânia Nascimento (inscrições esgotadas).

17:30: Palestra de encerramento: “As (im) possibilidades do diálogo inter-religioso nas religiões de salvação” – Prof. Dr. Gamaliel Carreiro.

 

UEMASUL promove a 1ª Jornada de Extensão (JOEXT)

Com a missão de produzir e difundir conhecimentos por meio do ensino, pesquisa e da extensão, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL), por meio da Pró-Reitoria de Gestão e Sustentabilidade Acadêmica (PROGESA) e da Divisão de Extensão e Assuntos Comunitários (DIVEXT), vinculada à Corrdenadoria de Sustentabilidade e Integração Social (CSIS), realiza durante o dia de hoje (10), a 10ª Jornada de Extensão (JOEX/UEMA) e 1ª Jornada de Extensão (JOEXT/UEMASUL).

Um dos principais objetivos do evento é motivar a participação de professores e estudantes no desenvolvimento de ações no pilar da extensão na instituição, além de promover uma maior articulação entre ensino, pesquisa e extensão, contribuindo com a formação acadêmica e cultural dos alunos de graduação.  Durante a jornada, os professores e alunos participam de palestras, debates e apresentações de trabalho na área da extensão da UEMASUL.

Para a professora e palestrante, da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Emilene Leite, este evento é uma oportunidade que os professores e alunos tem para refletir um pouco, sobre o pilar da extensão dentro da universidade. “A jornada é de fundamental importância, principalmente porque a UEMASUL está nascendo agora, então é preciso que a pesquisa e a extensão ganhem espaço dentro da instituição.  São os tripés da universidade, que dialoga com as comunidades e contribui com o crescimento da sociedade”, afirma.

O acadêmico e bolsista de extensão, do curso de Engenharia Florestal, Jhonatan Costa, desenvolve o projeto ‘diagnóstico e divulgação do sistema silvipastoril na região sudoeste do Maranhão’, e ressalta a importância da participação do aluno na extensão, para a formação acadêmica. “É na universidade que se produz conhecimento, então a extensão visa devolver para a sociedade o que adquirimos aqui, por meio de projetos voltados para contribuir com as necessidades da comunidade”, revela.

O professor e um dos organizadores da Jornada, Fabrício Nascimento de Moura, fala sobre a importância do evento nesta discussão sobre os desafios dos projetos de extensão na UEMASUL. “É importante porque visa estimular o desenvolvimento das atividades de extensão. A extensão na universidade como um todo ocupa um papel de coadjuvante, quando na verdade, do ponto de vista da concepção da universidade ela está no mesmo nível da pesquisa, aliás ela não se desenvolve sem a pesquisa. A extensão agrega também a pesquisa e o ensino”.