UEMASUL se reúne com analistas da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e da Parnaíba

O Vice-reitor da UEMASUL, professor Expedito Barroso esteve reunido com analistas em desenvolvimento regional da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e da Parnaíba (Codevasf) na última quinta-feira (28). Também participaram da reunião a diretora do Centro de Ciências, Agrárias Mauricélia Ferreira Almeida e a diretora do curso de Engenharia Agronômica, Anatércia Ferreira Alves.

A Codevasf é uma empresa pública vinculada ao Ministério da Integração Nacional, que fomenta ações nas regiões ribeirinhas dos rios São Francisco e Parnaíba e seus afluentes, nos estados de Minas Gerias, Bahia, Pernambuco, Alagoas, Distrito Federal, Goiás, Sergipe, Piauí e Maranhão com a utilização sustentável dos recursos naturais. A empresa já atua na área das bacias dos rios São Francisco e do Parnaíba, e há algum tempo vem atuando também nos rios Mearim e Itapecuru e agora irá ampliar seu trabalho atuando na bacia do Tocantins.

Durante a reunião o analista da empresa, Ricardo Barros falou sobre o objetivo da visita. “Nossa proposta é verificar a potencialidade da região para a agricultura irrigada e buscar estratégias de fomento. A gente entende que a agricultura irrigada traz uma série de benefícios, traz empregos, traz uma distribuição de renda, favorece o agronegócio, diminui a pressão sobre o meio ambiente, uma série de vantagens”.

O objetivo é trabalhar a irrigação dentro de uma cadeia para potencializar os benefícios da irrigação, aumentando a oferta de produtos, reduzindo os riscos, melhorando o comércio e dessa forma gerando desenvolvimento regional, com a aplicação de novas tecnologias, diversificação de culturas, recuperação de áreas degradadas, capacitação, entre outras ações. Os analistas já fizeram estudos na região identificando as principais cadeias produtivas com suas especificidades, como o clima e incidência de chuva.

Para o analista Paulo Cerqueira existe a necessidade do investimento e da parceria em decorrência da potencialidade da região. “O cerrado brasileiro tem muita água e muito solo e vai alimentar o mundo. A gente sabe da potencialidade que tem aqui e da potencialidade do que tem aqui para a nossa empresa. O Maranhão é o único estado do Nordeste que não tem semi-árido, então, tem uma potencialidade natural inerente muito boa”.

A UEMASUL vai elaborar um acordo de cooperação técnica, contribuindo também para o diagnóstico dos municípios onde a Codevasf vai começar o seu trabalho, mapeando as cadeias produtivas e indicando culturas regionais. ”Dessa forma a UEMASUL cumpre sua missão que é formar técnicos nessa área das ciências agrárias, permitindo uma extensão importante para a região, obviamente além dessas cadeias produtivas, as outras que já são cadeias medianamente consolidadas, cadeia pecuária leiteira, cadeia da piscicultura, e cadeia da mandioca, cumprindo assim sua missão institucional que é promover o desenvolvimento sustentável formando recursos humanos tanto de natureza técnica, como também fazendo uma ação de assistência técnica de extensão rural importante para a nossa região”, afirmou o  Vice-reitor Expedito Barroso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *