UEMASUL firmará parceria com Organização Pan-Americana de Saúde para implantar o curso de medicina

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) é um organismo internacional de saúde pública com um século de experiência, dedicado a melhorar as condições de saúde dos países das Américas. A Organização exerce um papel fundamental na melhoria de políticas e serviços públicos de saúde, por meio de parcerias e convênios, em um trabalho de cooperação internacional promovido com governos, instituições de educação e organização não-governamentais.

No Maranhão, a entidade já trabalha em parceria com o Governo do Estado em um programa de cooperação técnica em apoio ao projeto de Estruturação da Atenção à Saúde. A entidade tem contribuído com a criação da nova graduação desde as primeiras tratativas, que avaliavam a viabilidade do curso de Medicina da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão. “Fomos recebidos no escritório da OPAS em Washington durante uma missão internacional onde conhecemos as experiências da Faculdade de Medicina da Universidade do Novo México em Albuquerque (USA), e da Escola Latino-Americana de Medicina de Havana (Cuba)”, afirmou Elizabeth Nunes Fernandes, reitora da UEMASUL.

Uma vez que assinarem um termo de cooperação, a OPAS contribuirá com ações estratégicas de colaboração internacional no planejamento e implantação do curso. “Esta proposta do Estado do Maranhão e da UEMASUL está diretamente ligada com a vocação da OPAS na formação e qualificação de profissionais da saúde, principalmente em regiões que mais necessitam de melhorias nas políticas públicas de saúde”. Afirmou Joaquín Molina, representante da OPAS/OMS no Brasil, que recebeu a reitora Elizabeth Fernandes, acompanhada da presidente da comissão de implantação do Curso de Medicina, Sheila Araújo e da Assessora Especial da Secretaria Extraordinária de Articulação de Políticas Públicas do Estado, Ana Lúcia Nunes. semana passada, em Brasília.

O NOVO CURSO

Enquanto o projeto de lei que cria o Centro de Ciências da Saúde (CCS) tramita na Assembleia Legislativa do Maranhão, a comissão de implantação do curso de Medicina antecipa o mapeamento de campos de estágio na região Tocantina. A proposta é que, mesmo estando sediado em Imperatriz, o curso envolva os 22 municípios de abrangência da UEMASUL em suas atividades acadêmicas.

Após a aprovação da lei, outros dois passos serão decisivos para a criação do curso de medicina: a aprovação no Conselho Universitário da UEMASUL e o reconhecimento por parte do Conselho Estadual de Educação (CEE). “Diferente das universidades federais e particulares, que estão regidas pelo MEC, a criação dessa nova graduação depende somente da autorização do CEE”, afirmou Sheila Araújo, presidente da comissão de implantação, que completou: “Temos um caminho longo a percorrer, pois uma iniciativa dessa natureza requer muito trabalho e dedicação para que ao fim deste processo, tenhamos um resultado à altura dos anseios de nossa população”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *