Concursos públicos marcam nova fase da UEMASUL em Açailândia

Durante os intensos debates que antecederam a criação da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL), uma pauta constante foi a importância e a urgência da autonomia universitária para garantir um ensino público, gratuito e de qualidade na região Tocantina. Neste contexto, o caso do então Centro de Estudos Superiores de Açailândia (CESA-UEMA), hoje Campus da UEMASUL, foi o mais representativo.

Com mais de 15 anos de criação e com um novo curso a ser implantado, o CESA-UEMA não contava com nenhum professor efetivo por falta de concurso público. Isolada e sem investimentos em infraestrutura em seu prédio, a universidade mais parecia com uma escola. “Quando iniciou o processo de criação da UEMASUL, formamos uma comissão de transição que visitou o Centro. Foi então que percebemos o quão crítica era a situação em Açailândia”, afirmou a reitora Elizabeth Nunes Fernandes, que na oportunidade era membro da comissão de transição.

Dentro do parecer feito pela comissão, a realização de concurso público foi um dos pontos principais a serem concretizados para a efetivação da UEMASUL. “Ainda em 2017 o governador Flávio Dino liberou 30 novas vagas para professores efetivos da UEMASUL, dando condição para a realização do primeiro concurso público para Açailândia”, informou o vice-reitor Expedito Barroso. As vagas liberadas foram distribuídas igualmente entre os campi de Imperatriz, Estreito e Açailândia.

A realização do concurso público representa um grande avanço para o desenvolvimento de atividades de pesquisa e extensão e impulsionará a qualidade do ensino nas graduações do campus Açailândia. As vagas foram distribuídas entres os quatro cursos ofertados na cidade e que, a longo prazo, abrirão caminho para a oferta de cursos de pós-graduação. “Apesar da grande contribuição e compromisso de diversos professores contratados que passaram por aqui ao longo do tempo, a chegada de novos professores efetivos, mestres e doutores, é um marco histórico. É o início de uma caminhada que nos levará à excelência no ensino superior”, avaliou a reitora.

Para o acadêmico Helder Costa, do curso de Engenharia Civil, os avanços nas questões estruturais e acadêmicas são notáveis e o concurso público vem somar ainda mais com as conquistas garantidas pela criação da UEMASUL. “Mesmo sendo uma universidade tão jovem, estamos tendo a chance de presenciar uma melhora considerável na qualidade do ensino, principalmente com a chegada desses novos professores”, declarou o estudante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *