UEMASUL é contemplada com Restaurante Popular e Universitário

No início de 2017 muitas eram as expectativas de toda a comunidade em relação aos avanços da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão. Melhor estrutura física, mais bolsas de pesquisa e extensão, e melhor qualidade de ensino. Pauta à pauta, as conquistas foram se concretizando e o planejamento pensado para UEMASUL foi saindo do papel, se tornando realidade e indo muito além.

Pauta histórica nos debates de assistência estudantil, o Restaurante Universitário (RU) não estava dentro do planejamento de 2017, mas, após assumir o compromisso frente ao pedido dos representantes do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UEMASUL, o governador Flávio Dino determinou a criação de um RU. Ficou a cargo da administração superior fazer um estudo de viabilidade e apresentar alternativas para a implantação do RU.

De acordo com a reitora da UEMASUL, Elizabeth Nunes Fernandes, várias possibilidades foram avaliadas, mas, a maioria esbarrava em limitações de espaço físico ou inviabilidade orçamentária. “Foi quando o deputado estadual Marco Aurélio mediou uma conversa com o secretário Neto Evangelista, da Secretaria de Desenvolvimento Social (SEDES). Foi colocada a possibilidade de um acordo de cooperação que viabilizasse um Restaurante Popular em Imperatriz, que também pudesse atender a demanda da UEMASUL”, afirmou a reitora.

Em crescente investimento para interiorização das políticas de segurança alimentar, o Restaurante Popular e Universitário será o 19º do Maranhão. No início do governo eram apenas seis Restaurantes Populares e apenas em São Luís. “A política de segurança alimentar da gestão Flávio Dino atende quem realmente necessita e se amplia com a construção de novos equipamentos de alimentação, para contemplar todo o estado”, pontua o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Neto Evangelista.

Funcionamento

Em geral, o Restaurante Popular e Universitário da UEMASUL funcionará como os demais espalhados pelo estado. O almoço será servido de segunda a sexta, das 11h as 14h30, sempre com um cardápio variado e nutritivo, atendendo a todos os princípios da segurança alimentar. Cada refeição custará o preço de 2 reais.

Como determinado no Acordo de Cooperação firmado entre UEMASUL e SEDES, serão 1000 refeições servidas por dia, sendo que 400 estarão reservadas para alunos e servidores da universidade. “Teremos um controle específico da instituição onde distribuiremos tickets para os alunos e servidores, que deverão ser apresentados com um documento que comprove o vínculo institucional quando forem adquirir a refeição”, informou Raelson Serra, encarregado da UEMASUL para a gestão do Restaurante Popular e Universitário.

UEMASUL é credenciada pelo Conselho Estadual de Educação


A reitora Elizabeth Nunes Fernandes protocola o pedido de credenciamento ainda em Julho

A criação da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão é um marco para o desenvolvimento regional e para a democratização do ensino superior na região Tocantina, e em todo o Maranhão. E em seu caminho de implantação e consolidação, muitos desafios foram lançados, um em particular tem destaque especial: o credenciamento junto ao Conselho Estadual de Educação (CEE).

O credenciamento de uma Instituição de Ensino Superior diz respeito a atos de autorização junto aos órgãos competentes para o funcionamento da universidade. “Com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), o credenciamento das universidades estaduais deixou de ser competência do Ministério da Educação (MEC) e ficou a cargo dos Conselhos Estaduais de Educação, que são órgãos autônomos e independentes”, explicou o vice-reitor Expedito Barroso.

O pedido de credenciamento da UEMASUL iniciou em julho, quando foram protocolados diversos documentos, entre eles o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e o Projeto Pedagógico Institucional (PPI). “Na verdade esse processo iniciou bem antes, nos primeiros dias da UEMASUL quando começamos a discutir e elaborar o PDI e o PPI. Todo esse trabalho é fruto do comprometimento de toda a comunidade acadêmica”, afirmou a reitora Elizabeth Nunes Fernandes.

Após o pedido de credenciamento, o CEE nomeou uma Comissão de Avaliação que promoveu visitas e análises in locu nos dois campi da instituição para emitir parecer sobre a viabilidade da nossa universidade. “Tivemos a oportunidade de dialogar com os avaliadores e falar abertamente das mudanças e melhorias com a implantação da UEMASUL. Estamos muito felizes por poder participar ativamente deste processo”, declarou Júlio Cezar Nascimento, coordenador geral do Diretório Central dos Estudantes da UEMASUL.

O grande e esperado anúncio do credenciamento foi feito no final da tarde da última quinta-feira (14). Depois do relatório da Comissão de Avaliação e do parecer favorável da Câmara de Ensino Superior, o plenário do Conselho Estadual de Educação aprovou por unanimidade o credenciamento da UEMASUL por 5 anos, prazo máximo que pode ser dado a uma instituição. Relator da lei que criou a UEMASUL coube ao deputado estadual Marco Aurélio dar a notícia em primeira mão nas redes sociais. “A vitória confirma que o sonho deu certo. É pra valer! Parabenizo toda a equipe UEMASUL e o Governador Flávio Dino, que acreditou nesse sonho e deu toda condição para sua concretização. Agora a UEMASUL decola de vez!”, anunciou o deputado no Twitter.

UEMASUL discute projeto de expansão da instituição

A criação da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão simboliza um farol de esperança para os municípios da região que sonham com possibilidade de oferecer o ensino superior para seus munícipes. A UEMASUL por sua vez, em conformidade com o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), que prevê diretrizes de expansão da instituição, tem elaborado planos de implantação de Unidades Avançadas para a formação de polos que contemplem toda a região tocantina.

Neste sentido, a reitoria da UEMASUL recebeu na última terça-feira (12), o Secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Davi Telles, que presidiu a reunião que contou com a presença da prefeita de Amarante, Joice Marinho, além de vereadores e secretários de educação dos municípios de Amarante, Buritirana e Sítio Novo. A reunião teve como pauta única o projeto de expansão da UEMASUL que contempla a implantação de uma Unidade Avançada da UEMASUL na cidade de Amarante, formando um polo com as cidades de Buritirana e Sítio Novo.

Amarante sediou em Agosto uma audiência pública intermunicipal, onde representantes dos poderes públicos, da sociedade civil e diversos estudantes se manifestaram favoráveis à implantação da UEMASUL. “O polo da UEMASUL em Amarante, representa uma grande conquista para o povo daquela região.  Os nossos estudantes não vão precisar mais se deslocar para Imperatriz, ou outras regiões, em busca da qualificação. Lutamos e conseguimos esta vitória na área da educação”, ressaltou a prefeita de Amarante, Joice Marinho.

A tendência é que o curso Intercultural Indígena seja um dos oferecidos com a instalação da Unidade Avançada em Amarante, uma das cidades com maior população indígena da região e de todo o estado. Fabiana Guajajara, educadora indígena destaca a importância desse movimento. “Este momento é um marco histórico para a população, inclusive para os povos indígenas que estão naquela região e que também serão contemplados”, afirma.

Durante a reunião, o Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Davi Telles, ressaltou o significado da criação da UEMASUL, e destacou o propósito da instituição em relação à expansão do ensino superior, na região Tocantina. “A UEMASUL já nasce nesse intuito de interiorização e regionalização da educação superior, visando o desenvolvimento local e regional”, explica. “Tão logo o governador recebeu o ofício deste colegiado de municípios, nos foi demandada a missão de dialogar e dar os encaminhamentos práticos para que o pleito fosse atendido”, finalizou o secretário.

A reitora da UEMASUL Elizabeth Nunes Fernandes comentou a respeito da criação e implantação de Unidades Avançadas da UEMASUL na região. “Esta proposta contempla as demandas mais urgentes dos nossos municípios, que sofrem com a falta de formação e qualificação dos seus professores, e consequentemente com a qualidade do ensino básico ofertado. Sabemos que é impossível criar um centro ou campus da UEMASUL em todos os 22 municípios da região, mas, com o comprometimento do Governo do Estado e dos gestores municipais, certamente estaremos levando a UEMASUL cada vez mais longe, abrindo novas vagas e democratizando cada vez mais o ensino superior em nosso estado”, afirmou a reitora.

Conselho Universitário da UEMASUL se reúne no campus de Açailândia

Na quinta-feira (7), o Conselho Universitário da UEMASUL, se reuniu para analisar, discutir e aprovar propostas de resolução. Na última reunião do ano, que aconteceu no Campus de Açailândia e durou todo o dia, foram apreciadas e discutidas várias propostas de resolução, entre elas: proposta que dispõe sobre a regulamentação da hora-aula e os horários de aula nos cursos de graduação presenciais da UEMASUL, de autoria da PROGESA; e proposta que normatiza a concessão de diárias, passagens e pagamentos de taxa de inscrição a servidores da UEMASUL com relatoria da PROPLAD, entre outras.

Depois de apresentadas, as propostas foram discutidas; alteradas com as sugestões dos conselheiros, e na sequência votadas. As resoluções aprovadas norteiam as ações da universidade e depois de assinadas pela Reitora da UEMASUL são publicadas no Diário Oficial do Maranhão e no sítio oficial da instituição.

Formado por 25 membros, com representantes de cada estrutura da universidade, o CONSUN é o órgão colegiado máximo da instituição, de competências normativa, deliberativa e recursal. São atribuições do Conselho traçar as diretrizes da universidade,  aprovar o regimento de suas unidades, deliberar sobre a criação e extinção de cursos de graduação, entre outras.

O Conselho Universitário é composto pela Administração Superior (Vice-Reitoria); Unidade de Assessoramento direta ao Reitor (Assessoria Jurídica, Assessoria Técnica); Unidade de suporte operacional (Pró-Reitoria de Planejamento e Administração – PROPLAD); Unidade de atuação programática (Pró-Reitoria de Gestão e Sustentabilidade Acadêmica – PROGESA, Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação – PROPGI, Centros de Ciências); Representação Docente; Representação de Servidores Técnico-Administrativos e Representação Discente.

UEMASUL promove o I Seminário de Iniciação Científica (SEMIC)

Buscando ser referência regional na formação acadêmica e produção da ciência, tecnologia e inovação, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão promove dos dias 04 a 06 de dezembro de 2017, no campus de Imperatriz, o I Seminário de Iniciação Científica (SEMIC). Um dos principais objetivos do evento é divulgar os resultados dos projetos de iniciação científica desenvolvidos na instituição.

A solenidade de abertura do I SEMIC da UEMASUL aconteceu na manhã desta segunda-feira (04) e contou com a participação da Reitora Elizabeth Nunes Fernandes e do Vice-Reitor Antonio Expedito Barroso, juntamente com as Pró-Reitoras: de Gestão e Sustentabilidade Acadêmica (PROGESA), Regina Célia Costa, de Planejamento de Administração (PROPLAD) Diana Barreto e de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (PROPGI) Alinne da Silva e o coordenador do evento professor Dr. Jorge Diniz. Compôs a mesa também o palestrante convidado, o Presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), Alex Oliveira.

A acadêmica e bolsista de pesquisa, do curso de Engenharia Agronômica, Thácila Luana Lima, desenvolve o projeto ‘ Calibração do método SMP para os solos intemperizados da região sudoeste do Maranhão’, e ressalta a importância da participação do estudante na iniciação científica, para a formação acadêmica. “É na universidade que se produz conhecimento, então a pesquisa nos proporciona uma experiência além da sala de aula. É no SEMIC, que temos a oportunidade de apresentar para a comunidade acadêmica, os resultados dos nossos projetos”, ressalta.

Para a Pró-Reitora Alinne da Silva, este evento é uma oportunidade que os alunos têm para divulgar os resultados das pesquisas, além de ser o primeiro SEMIC, realizado enquanto UEMASUL. “O intuito do SEMIC, é divulgar os resultados e as pesquisas que estão sendo desenvolvida na instituição, então realizar este primeiro seminário de iniciação científica, revela o crescimento que a UEMASUL está tendo, em relação à pesquisa”, conclui.

O diretor presidente da FAPEMA, Alex Oliveira, explica sobre a importância e a contribuição da pesquisa para o desenvolvimento da Região Tocantina e da UEMASUL. “Só há crescimento da região e universidade, se houver progresso nas pesquisas. A instituição de ensino nasce por meio dos três pilares de sustentação, ensino, pesquisa e extensão. Então, a pesquisa deve sempre caminhar lado a lado com a universidade, para o melhor desenvolvimento do ensino”, afirma.

A Reitora da universidade, Elizabeth Nunes Fernandes, agradeceu o apoio da FAPEMA e a organização do evento, pela realização do primeiro SEMIC.  “Este evento é um marco para UEMASUL, por ser o primeiro SEMIC, enquanto instituição. Agradeço o apoio dos professores, acadêmicos e da PROPGI, além da parceria com  a FAPEMA, em relação às pesquisas científicas na universidade”, finaliza.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA AQUI

UEMASUL firmará acordo de cooperação com Procuradoria Geral do Estado do Maranhão

Criada para ser referência do desenvolvimento regional e da democratização do ensino superior, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão vem se estabelecendo também como importante articuladora de iniciativas, entidades e órgãos públicos, propondo e compondo diversas ações de cooperação.

Nesse sentido, o Vice-Reitor Antonio Expedito Barroso e a Procuradora Jurídica da UEMASUL Adilene Ramos receberam na última sexta-feira (01), representantes da Procuradoria Geral do Estado do Maranhão; o Corregedor Geral Rodrigo Belo e o Procurador adjunto para Assuntos Estratégicos Bruno Tomé Fonseca.

A reunião tratou de acordos de cooperação entre a procuradoria e a universidade, em questões gerenciais e administrativas que beneficiam o desenvolvimento das duas instituições. “É fundamental pensarmos ações transversais de cooperação e integração de órgãos do governo no planejamento e execução de ações que fortaleçam as políticas públicas que estão sendo implantadas em todo Estado”, afirmou Expedito Barroso.

O procurador Bruno Tomé Fonseca falou sobre as expectativas da parceria: “A Procuradoria Geral do Estado participou da concepção da UEMASUL, por meio da regional de Imperatriz. Agora, com a futura regional, que está sendo efetivamente implantada em Imperatriz, há necessidade de realizar cooperações técnicas, com trocas de conhecimento, para que a UEMASUL e a PGE cresçam juntas na região. Nós temos boas expectativas de que a PGE tenha boas parcerias institucionais com esse Centro de Excelência de Ensino na área de consulta e de consultoria”.

Estudantes da UEMASUL promovem eleições para Centros Acadêmicos

O Diretório  Central dos Estudantes (DCE) representa os estudantes de uma universidade e existe nas instituições de ensino que oferecem mais de quatro cursos superiores. O DCE tem a função de debater  problemas relacionadas à instituição, por meio da mobilização estudantil. Além disso,  promove atividades culturais, calouradas, assembleias,  e eleições de Centros Acadêmicos (CA), que é uma entidade que representa todos os estudantes de um curso específico.  Por ser uma entidade, existe um respaldo maior de diálogos com professores, diretores e reitoria.

O DCE da UEMASUL realizou na última quinta-feira (30), as eleições para os representantes dos centros acadêmicos dos cursos de Física, Matemática, Pedagogia e Geografia, que atuarão junto com o DCE.  Os demais cursos da universidade  não foram contemplados com a eleição, em razão de alguns deles ainda não estarem com os centros acadêmicos ativos, conforme informações do presidente do DCE.

O presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) Júlio Cezar Nascimento ressaltou a relevância destas escolhas para o funcionamento da universidade: “Cada curso tem que ter sua representação máxima, seu grupo de atuação, para junto ao DCE reivindicar melhorias para os cursos, defendendo os direitos estudantis, buscando um movimento mais autônomo e legítimo dentro da universidade”.

A estudante do curso de Pedagogia Larissa de Souza falou sobre a importância do engajamento dos estudantes na escolha dos representantes do CA: “O centro acadêmico recentemente estava sem representante. Nós queremos reativar esses centros que estavam apagados para os próprios acadêmicos aqui da UEMASUL. Acho muito importante, pois o CA é a nossa voz diante da universidade, somos nós que fazemos a academia, pois sem os estudantes não existe universidade que funcione”, ressalta.

Resultado das eleições dos CAs:

Centro Acadêmico do curso de Pedagogia

Chapa: Pedagogia em ação: 70 votos a favor e um voto contra

Centro Acadêmico de Física:

Chapa Albert Einstein: 22 votos a favor e um voto contra

Centro Acadêmico de Geografia:

Chapa Milton e La Blache: 38 votos (unanimidade)

Centro Acadêmico de Matemática:

Chapa: Euclidianos (apesar de apenas 29 votos, a chapa foi legitimada pelo presidente do DCE)