UEMASUL divulga cursos mais concorridos no PAES 2018

Com a visão de ser referência regional na formação acadêmica, produção e promoção da ciência, tecnologia e inovação, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL), anuncia os quatros cursos mais concorridos da instituição, no Processo Seletivo de Acesso à Educação Superior- PAES 2018.  Em primeiro lugar está o curso de Medicina Veterinária, com aproximadamente 26 candidatos por vaga, em seguida o curso de Engenharia Agronômica com 14, Administração Bacharelado de Açailândia com 13 e Engenharia Florestal com 11 concorrentes por vaga.

Criado em 1994, por meio da resolução nº 03/94, de 06 de dezembro, em consonância ao Conselho Universitário da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), o curso de Medicina Veterinária, possui cerca de 12 professores e 143 acadêmicos. O objetivo do curso é de formar profissionais habilitados para o exercício de atividades ligadas à produção animal, biotecnologia em reprodução animal, sanidade animal, tecnologia e controle de qualidade de produtos de origem animal, saúde pública, planejamento e administração agropecuária, extensão rural e a preservação da fauna.

Para a diretora do curso de Medicina Veterinária da UEMASUL, Sandra da Silva, o aumento da concorrência por estes cursos de agrárias, é apenas o reflexo da realidade do mercado de Imperatriz e região. “Acredito que toda esta região de Imperatriz e cidades circunvizinhas, é uma área agropecuária. Então os cursos de agrárias têm uma relevância muito grande em relação ao mercado local. Este é o fator que tem estimulado a procura por esses cursos, principalmente o curso de Medicina Veterinária”, afirma.

O curso de Agronomia, hoje com 12 professores e 131 alunos, foi criado em 29 de novembro de 1999, por meio da resolução nº 116/94, do Conselho Universitário- CONSUN/UEMA.

Já o curso de Engenharia Florestal, nasce em consonância com a resolução nº 804/2010, do Conselho Universitário- CONSUN/UEMA, no dia 14 de julho de 2010. Com objetivo de formar engenheiros florestais que atuem com responsabilidade técnica, social e ambiental, respeitando a fauna, flora, a conservação e a recuperação da qualidade do solo, da água e do ar, utilizando tecnologias racionais e sustentáveis durante o processo produtivo, hoje, o curso de Engenharia Florestal integra 12 professores e cerca de 120 estudantes.

O estudante do 9º período de Engenharia Florestal, Jonas Juliermerson dos Santos, revela a importância desta graduação para a região Tocantina. “O curso de Engenharia Florestal da UEMASUL é relativamente novo, tem duas turmas que formaram. A cidade Imperatriz é conhecida como Portal da Amazônia, então o curso veio para contribuir, analisar e estudar a dinâmica das florestas e ecossistemas encontrados aqui”, finaliza.

A estatística completa de candidatos por vaga está disponível aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *