UEMASUL avança em pesquisas científicas com parcerias nacionais e internacionais

Em conformidade com os três pilares de sustentação das universidades, que são o ensino, pesquisa e extensão, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL), nos nove meses de criação, avança na área das pesquisas científicas. Com o objetivo de estimular e envolver os estudantes de graduação, na prática da pesquisa, a instituição tem investido cada vez mais em bolsas e nas produções científicas.

Com apenas um ano de universidade, Thalía Oliveira, estudante e bolsista de iniciação científica, do segundo período do curso de Química, já iniciou a caminhada no universo da pesquisa e revela que é uma oportunidade a mais de adquirir conhecimento, por meio dos projetos científicos. “Estar na pesquisa é a melhor forma de consolidar os meus conhecimentos teóricos adquiridos em sala, além de enxergar a importância que se tem em aplicar estes ensinamentos na busca de novas descobertas para a melhoria de vida das pessoas”, ressalta.

A pesquisa é um exercício contínuo de sustentação do ensino universitário, com isso, a instituição tem trabalhado em consonância com os projetos científicos e de inovação tecnológica. A UEMASUL em parceria com o Programa de Bolsas de Iniciação Cientifica ofertou, nestes nove meses de atuação, 86 bolsas de pesquisa, sendo 40 disponibilizadas pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Desenvolvimento Científico do Maranhão (FAPEMA) e 46 bolsas da própria universidade.

Já no Programa Institucional de Bolsa de Inovação Tecnológica, do edital nº 02/2017 Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação /UEMASUL, foram ofertadas 4 bolsas e outras 6 para o Programa de Bolsas de Apoio Técnico Institucional (BATI) do edital nº 04/2017- PROPGI/UEMASUL, que tem por finalidade o apoio a condução dos projetos aprovados e financiados por agências oficiais de fomento e executados na UEMASUL.

Com um projeto de pesquisa em desenvolvimento, sobre investigação de produtos naturais bioativos em plantas do cerrado maranhense, o professor e pesquisador do curso de Química, Eduardo Catunda, revela que a pesquisa é um dos eixos essenciais para o crescimento da universidade. “Desenvolver projetos científicos é uma ótima oportunidade que a UEMASUL tem de expandir parcerias nacionais e internacionais de pesquisa. É relevante para nós termos uma instituição com bom reconhecimento do Ministério da Educação e/ou outros órgãos de avaliação”, relata.

Para a professora Alinne Silva, Pró-Reitora de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação, houve um crescimento considerável da instituição no eixo científico, “Com aumento quantitativo de bolsas, grande parte dos estudantes estão sendo contemplados na modalidade da pesquisa. Não só na categoria de iniciação científica, mas, com bolsas de inovação tecnológica e apoio técnico. A universidade tem progredido, em relação à demanda no pilar da pesquisa”, afirma.

PROPGI intensifica atividades em nove meses de UEMASUL – Desde a criação da UEMASUL, em janeiro de 2017, a Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação (PROPGI), tem intensificado as atividades no fomento de bolsas, elaboração e desenvolvimento de pesquisa científica.

A UEMASUL tem estimulado a elaboração de projetos de inovação tecnológica e viabilizado o desenvolvimento da iniciação científica, para o crescimento educacional e sustentável da Região Tocantina. “A pesquisa é um dos eixos da universidade, a UEMASUL fica localizada na região Tocantina, então, é o papel da universidade trazer ciência, tecnologia e os avanços para esta região. A instituição está aqui com esta estratégia, de avançar nas pesquisas”, destacou a Pró-Reitora da PROPGI, Alinne Silva.

Em 13 de março de 2017, a UEMASUL celebrou a assinatura do acordo de cooperação com a Fundação de Amparo à Pesquisa e Desenvolvimento Científico do Maranhão (FAPEMA), com a presença do então secretário Jhonata Almada. Na oportunidade, a UEMASUL e FAPEMA firmaram uma parceria, com objetivo de fortalecer a pesquisa na instituição.

Projetos: Além da quantidade de bolsas ofertadas pela UEMASUL, FAPEMA, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Programa Institucional de Bolsas de Inovação Tecnológica e Programa de Bolsas de Apoio Técnico Institucional, a Pró-Reitoria de Gestão e Sustentabilidade Acadêmica (PROGESA), em parceria com PROPGI lançou o Edital de Bolsas para o Programa Mais IDH. O programa oferta 10 bolsas, que visam contribuir para o desenvolvimento dos municípios com menor IDH da Região Tocantina do Maranhão.

Já nos projetos de pesquisa da UEMASUL, no último edital Universal da FAPEMA, de no 031/2016, os professores pesquisadores da instituição tiveram seis propostas aprovadas, nas áreas de ciências agrárias, ciências exatas e da terra, educação, letras, literatura e artes. Além dos projetos aprovados, os docentes da UEMASUL foram contemplados com o Edital AREC, de apoio a realização de eventos científicos, tecnológicos e de inovação. A UEMASUL sediou eventos nos campi de Imperatriz e Açailândia, como o IV Encontro Maranhense de Ciências Agrárias, V Simpósio de Biologia, Encontro de Biólogos da Região Tocantina e o 1º Workshop Universitário da UEMASUL.

A UEMASUL em parceria com a PROPGI, cria em 30 de maio de 2017, em conformidade com a Resolução Nº07/2017-CONSUN/UEMASUL, a Cátedra Ignácio Rangel que é uma forma tradicional das universidades, de homenagear eméritos cientistas e pensadores, por meio da criação de cátedras para a realização de estudos, pesquisas, conferências e seminários.
A instituição foi contemplada com seis pesquisadores doutores pelo Programa de Apoio a Pesquisas Voltadas ao Desenvolvimento-Ignácio Rangel, com o objetivo de fomentar o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação, por meio da linha de ação “Mais Qualificação”, e no âmbito do programa “Pesquisando”.

Nestes nove meses de criação, a UEMASUL tem estimulado a divulgação científica na comunidade acadêmica. No dia 28 de agosto de 2017, a instituição fez o lançamento oficial da Mythos-Revista do Núcleo de Estudos Multidisciplinares de História Antiga e Medieval, no intuito de incentivar e publicizar a produção científica dos estudantes.

A Pró-Reitora Alinne Silva ressalta que a UEMASUL não investe apenas em bolsas, projetos de iniciação científica e inovação tecnológica, mas disponibiliza cursos para o melhor aperfeiçoamento acadêmico dos alunos. “Além das bolsas e projetos de pesquisas, a PROPGI fez a oferta de um curso gratuito de Latim Instrumental, ministrada pelo professor Dr. Álvaro Alfredo Bragança, com mais de 100 inscrições”, ressaltou a professora. Ela informou ainda, que a Universidade pretende realizar outros cursos voltados para questões mais específicas de cada área do conhecimento.

Em 2017, os professores da UEMASUL participaram de eventos nacionais e internacionais, com auxílio financeiro da instituição. A universidade apresentou, também, para a comunidade acadêmica, 20 professores que estão em regime de afastamento integral ou parcial, cursando mestrado ou doutorado, na intenção de contribuir para a qualificação do corpo docente da UEMASUL.

Para a estudante Thalía Oliveira, uma universidade que investe em pesquisa é uma instituição que olha para a sociedade. “Acredito que a realização de pesquisa na universidade não é apenas para formar estudiosos e pesquisadores, mas para que a instituição leve ciência até a sociedade”, finaliza.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *