UEMASUL – Obras no campus de Imperatriz motivam adequação do calendário acadêmico

Salas limpas, instalações elétricas funcionais, telhado e forro sem goteiras, banheiros adequados e corredores arejados. Basicamente um ambiente digno para receber alunos e professores, mas que infelizmente não era exatamente a realidade do antigo CESI/UEMA. A luta histórica por autonomia administrativa sempre foi a busca por meios dinâmicos e eficientes de oferecer uma universidade melhor para nossa região, e que culminou na criação da UEMASUL.

 

Se hoje, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão é uma realidade, o caminho até que ela esteja consolidada ainda é longo. “Somos uma nova instituição, com menos de dois meses de existência. Não começamos do zero, mas muitas coisas precisam ser refeitas e readequadas. Do Projeto Pedagógico Institucional, até o nosso prédio no campus de Imperatriz”, afirmou Elizabeth Nunes, reitora da UEMASUL.

 

Com cerca de 60% prédio sendo requalificado, o campus se tornou um grande canteiro de obras com dezenas de operários. “Novas salas estão sendo criadas para os setores administrativos e boa parte das salas de aula foram praticamente desmontadas, sendo reformadas do piso ao teto. Nesse sentido optamos por adiar o início das aulas para garantir maior conforto à comunidade acadêmica”, finalizou a reitora.

A determinação da administração superior é que o início das aulas seja adiado por uma semana, ficando marcada para o dia 13 de março, exclusivamente para o campus de Imperatriz. No campus de Açailândia o calendário continua o mesmo e as aulas iniciam dia 6 de março.

UEMASUL integrará Rede Ciência Maranhão

Iniciativa da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), a Rede Ciência Maranhão é uma proposta que visa integrar instituições e iniciativas ligadas a Ciência, Tecnologia e Inovação do estado. A rede será formada pelas Secretarias Municipais para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação, ou afins, e as instituições de ensino e da área científica e tecnológicas existentes no Maranhão.

 

A Rede de Secretarias Municipais de Ciência, Tecnologia e Inovação do Maranhão (RedeSMCTI) foi criada pela Portaria Nº 146/2015 durante o I Encontro Estadual dos Secretários Municipais de Ciência Tecnologia e Inovação. Ela contribui para organizar e apoiar a comunicação entre a Secretaria de Estado (Secti), Secretarias Municipais, Universidades e Institutos Tecnológicos de Ensino.

 

Na última semana, a SECTI cumpriu agenda em Imperatriz onde realizou duas reuniões de articular da Rede. A primeira reuniu os gestores municipais das cidades da região e a segunda, aconteceu na UEMASUL e reuniu representantes da UFMA, IEMA e UEMASUL. “A articulação dessa rede é fundamental para o desenvolvimento de pesquisas e projetos de inovação tecnológica em nosso estado e principalmente em nossa região”, afirmou Elizabeth Nunes, reitora da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão.

De acordo com a sua portaria de criação, dentre os objetivos da Rede Ciência Maranhão estão, o auxílio na formulação e implementação de políticas públicas voltadas para a Ciência, Tecnologia e Inovação, a articulação de Secretarias Municipais de Ciência, Tecnologia e Inovação junto ao Governo do Estado e Governo Federal e a realização de eventos e atividades para socialização de experiências e intercâmbio de informações quanto a programas, projetos e ações de Ciência, Tecnologia e Inovação.

UEMASUL firma parceria com UEMA e traz Mestrado em Ciências Agrárias para Imperatriz

Publicado na última quinta-feira (2), o edital de abertura do processo seletivo para o Curso de Mestrado em Agricultura e Meio Ambiente é resultado da parceira e cooperação entre a Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) e a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL).

Elaborado antes da implantação da UEMASUL, a criação do programa de pós-graduação teve participação efetiva de docentes que hoje estão lotados na mais nova instituição de ensino superior do Maranhão. São 15 vagas ofertadas, divididas entre o campus da UEMASUL em Imperatriz e o campus da UEMA em Balsas, e em nas linhas de pesquisa, “Manejo Sustentável e Produtividade de Ambientes Agrícolas” e “Restauração e Conservação de Ecossistemas”..

A Pós-Graduação em Agricultura e Meio Ambiente (PPGAA) é destinada a profissionais graduados em Agronomia, Engenharia Florestal, Ciências Biológicas e áreas afins. Segundo o professor José Roberto, coordenador do mestrado, o diálogo entre as duas instituição foi fundamental para que o projeto se tornasse viável. “É uma parceria muito salutar e quem ganha é toda a região. Além de professores, a UEMASUL também dará suporte com os seus laboratórios da área”, afirmou o coordenador.

As inscrições podem ser realizadas de forma presencial ou por meio de SEDEX, nas secretarias do PPGAA de Balsas e do campus de Imperatriz da UEMASUL. Além de entregar cópias de documentos e a ficha de inscrição preenchida, os candidatos deverão pagar uma taxa no valor de R$ 150,00, conforme descrito no edital do seletivo. As inscrições encerram no dia 3 de março.

O processo seletivo será dividido em duas fases. A primeira fase é uma prova escrita de conhecimentos específicos, prevista para ser realizada no dia 13 de março. A prova será composta por dez questões objetivas e subjetivas, sendo cada questão com o valor máximo de 1,0 ponto. Serão aprovados os candidatos obtiverem nota igual ou superior a 7,0. No mesmo dia, no período vespertino, será aplicada a prova de língua estrangeira.

A segunda fase, de caráter classificatório, constitui na arguição e defesa da carta de intenção e análise do Curriculum Vitae e acontece no período de 14 a 17 de março. O resultado final está previsto para ser divulgado no dia 28 de março. Os candidatos aprovados deverão realizar as matrículas nos dias 13 e 14 de abril. As aulas serão iniciadas no dia 17 de abril de 2017, em Imperatriz e Balsas.

UEMASUL Reitora Elizabeth Nunes faz visita ao campus de Açailândia

Instituída pela Lei nº 10525/2016 de 3 de novembro de 2016, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão foi implantada nos antigos Centros de Ensino de Superior de Imperatriz e Açailândia da UEMA. Hoje, os campi da UEMASUL nas duas cidades passam por um processo de requalificação do espaço físico e de reestruturação administrativa e para acompanhar o andamento dos trabalhos, a reitora Elizabeth Nunes realizou uma visita ao campus de Açailândia.

Criado em 2012, o Centro de Açailândia funcionava em um prédio cedido pela empresa Vale que em 2014 foi doada a UEMA. Hoje o centro foi transformado em um campus e conta com 3 cursos de graduação presenciais e outros 4 cursos na modalidade de ensino a distância e atende a 670 alunos da cidade e região. “O planejamento é que ainda no segundo semestre deste ano comece o curso de Engenharia Civil, que certamente é um grande ganho para a UEMASUL e para a cidade de Açailândia”, afirmou Elizabeth Nunes, reitora da universidade.

Na nova estrutura administrativa da UEMASUL, o campus de Açailândia sedia agora o Centro de Ciências Humanas, Sociais, Tecnológicas e Letras. Para diretor do centro foi nomeado o professor Christiano Aguiar e para vice-prefeita do campus a professora Ilaise Martins, ambos designados pela reitora Elizabeth Nunes. “Somos guiados pela medida provisória editada pelo Governo do Estado que estrutura administrativamente nossa universidade. A implantação da UEMASUL em Imperatriz e Açailândia é estratégica uma vez que existe uma proximidade que possibilita uma boa articulação, gerenciamento e consolidação”, afirmou a reitora.

O diretor de centro, professor Christiano Aguiar afirmou que a estrutura do campus de Açailândia é muito boa e que conta com uma boa equipe na parte administrativa. “Ainda é necessários alguns ajustes, como a desobstrução de salas, adequação do espaço de vivência e outras demandas que não irão atrapalhar o bom andamento das aulas neste semestre”, afirmou o diretor.