Seminário expõe experiências acadêmicas voltadas para o meio ambiente

A extensão acadêmica compreende ações da universidade junto à sociedade, disponibilizando ao público externo à universidade o conhecimento adquirido com o ensino e a pesquisa desenvolvidos dentro da instituição. Neste sentido, o I Seminário de Prática em percepções Ambientais, promovido pelo curso de Ciências Biológicas, reuniu alunos de cursos diversos da universidade para assistir às apresentações das experiências dos acadêmicos do 7º período de Licenciatura em Ciências Biológicas.

A ideia do evento surgiu após a finalização dos trabalhos da disciplina, em que cada grupo produziu um artigo com todos os passos dos projetos, resultados e impressões sobre as atividades propostas nas escolas. Para compartilhar as experiencias com mais acadêmicos, foi formatado o seminário.

As práticas foram aplicadas em 10 escolas da rede pública de Imperatriz, com alunos do ensino fundamental e médio. Segundo a professora Stéfanie Sorrá, a percepção ambiental é uma maneira de fazer com que as pessoas se vejam como agentes transformadores do meio ambiente. “A melhor forma de mostrar isso é começando pela base, que são os alunos do ensino básico e que depois de serem apresentados aos temas, tem maior consciência ambiental e mudam de postura”, afirma.

Um dos grupos trabalhou o descarte incorreto do óleo de cozinha e os impactos no meio ambiente com os alunos de uma turma de 1º ano no Colégio Estadual Nascimento de Moraes, e uma das atividades propostas foi a coleta de óleo usado para doação à ASCAMARI (Associação dos Catadores de Material Reciclável de Imperatriz).

Mas não somente os estudantes das escolas foram parte da transformação. Segundo a professora responsável pelo evento, os acadêmicos puderam perceber a importância da prática, sentirem os desafios, e adquirir mais sensibilidade. “Alguns grupos trouxeram os alunos para conhecerem os laboratórios da UEMASUL, que a maioria jamais tinha visto. Nós pudemos ver crianças e adolescentes maravilhados com a biologia, alguns até com lágrimas nos olhos”, relata.

UEMASUL participa do 1º Simpósio Internacional de Inovação em Educação Superior

São Luís sediou um dos maiores eventos relacionado à educação superior já realizados no Maranhão.  Promovido pela Associação Brasileira de Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (ABRUEM) e pela Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), a primeira edição do Simpósio Internacional de Inovação em Educação Superior recebeu centenas de alunos, professores e interessados nos tema.

“Muitos destes inscritos são de fora do Estado e vêm com o objetivo de discutir, compartilhar e vivenciar esse assunto que é o processo de inovação na educação contemporânea, o que é de grande relevância para o momento atual do Brasil” declara a Prof. Ilka Márcia  de Souza Serra, coordenadora geral do evento. Da UEMASUL, além da reitora Elizabeth Nunes Fernandes e da pro-reitora Alinne Silva, outros 5 professores participaram do evento. “Precisamos estar inseridos nestes debates e iniciativas. Para se tornar tão grande quanto os nossos sonhos, a UEMASUL deve estar em constante diálogo com outras universidades, trilhando o caminho do desenvolvimento e consolidação institucional”, afirmou a reitora.

O evento contou com a participação de representantes de universidades Estaduais, Municipais e Comunitárias, por meio de seus dirigentes, Professores e estudantes, além de representações dos Estados brasileiros, bem como empresários nacionais e locais. “A inovação no ensino superior é um tema que atualmente está na agenda do nosso Estado. Temos uma grande oportunidade de sediar este simpósio reunindo grandes profissionais de vários países que estão contribuindo com o debate sobre os indicadores do processo de transformação na educação no Brasil”, declarou Gustavo Costa, reitor da UEMA.

Os principais temas apresentados no Simpósio foram: aprendizagem flexível, criatividade e inovação tecnológica, neurociência e tecnologias assistivas, mudança cultural, produtividade científica e tecnológica, globalização educacional. A abertura oficial do evento foi a palestra magna “A Universidade à procura do século XXI”, proferida pelo o Prof. Dr. Antônio Sampaio da Nóvoa (Professor Honorário e Ex- Reitor da Universidade de Lisboa) e a solenidade de encerramento contou com o debate da temática: “O Fomento à Pesquisa e Inovação do Ensino Superior” realizado pelo presidente do Instituto Serrapilheira, Hugo Aguilaniu e pelo presidente do CNPq.

Iº Seminário de Prática em Percepção Ambiental

Acontece no dia 03 de julho de 2017,  o Iº Seminário de Prática em Percepção Ambiental, realizado pelos Acadêmicos do 7ª período de Ciências Biológicas da UEMASUL e sob coordenação e orientação da Professora Esp. Stéfanie Sorrá.

O objetivo desse Seminário gira em torno da importância de apresentar a toda comunidade acadêmica, professores e demais participantes, os resultados adquiridos com os trabalhos de “Prática em Percepção Ambiental” realizados com alunos de escolas Públicas Municipais e Estaduais de Imperatriz-MA.

O evento disponibilizará certificados de participação aos  ouvintes e conta com o apoio da PROGESA, CABIO, CCENT e DIVEX.

Evento promovido por curso de Administração da UEMASUL debate logística e marketing em Açailândia

A integração entre mercado, sociedade e academia é fundamental para o desenvolvimento social, educacional de econômico de uma região. Neste sentido, alunos e professores do curso de Administração da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão promoveram o 1º Workshop Universitário da UEMASUL com o tema: “Integração Marketing e Logística como fator de sobrevivência do mercado”. O evento aconteceu no auditório do Centro Empresarial de Açailândia e reuniu acadêmicos, pequenos e médios empresários e interessados pelo assunto.

A programação contou com as palestras “Logística Integrada: Desafios e Oportunidades” com o Economista e gerente da Unidade Regional do Sebrae em Açailândia, Danilo Lisboa Borges e “Críticas sociais ao marketing e a responsabilidade social”, com o professor e Educador empresarial Antônio  Madiflavio. “É uma grande chance para os alunos vivenciarem a relação entre teoria e prática, de se integrarem e também de conhecer melhor os temas e as práticas empresariais, do planejamento a execução”, afirmou o professor Especialista Pablo Franco, um dos organizadores do evento.

Além das palestras, o evento contou também com a exposição de stands, ocupados por produtos e serviços de empresas locais que sortearam brindes para os participantes. Para a estudante Kelma Macedo, participar de um evento desta dimensão foi muito gratificante e a experiência vai ficar marcada em sua vida acadêmica. “É uma chance também de compartilhar o conhecimento que estamos adquirindo na universidade. Pois o conhecimento só é conhecimento de fato, se for transmitido para as outras pessoas”, afirmou a estudante que cursa o 5º período.

A reitora da UEMASUL, Elizabeth Nunes Fernandes, esteve presente no evento prestigiando toda a programação e a ela coube a função de abrir oficialmente o Workshop. “Toda a comissão organizadora está de parabéns pelo belo evento e por trazer para o debate estes assuntos tão importantes. Apesar de não ser da área, posso afirmar como gestora de uma universidade que ter um bom conhecimento e domínio dos princípios de marketing e a logísticas são fundamentais para empresas, entidades e até mesmo instituições de ensino como a nossa”, finalizou a reitora.

Centro Ignácio Rangel promove atividades em conjunto com UEMASUL

Criado para estimular a realização de pesquisas que analisem e indiquem os principais desafios e estratégicas para o desenvolvimento do Maranhão e do Brasil, o Centro Ignácio Rangel de Estudos do Desenvolvimento apontará novos eixos de crescimento e possibilidades de ganhos para a população e de melhoria de qualidade de vida dos maranhenses. No intuito de se integrar e incentivar a iniciativa, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão promoveu uma séria de atividades em conjunto com o centro nos campus de Imperatriz e Açailândia.

A primeira atividade foi 4º Seminário do Centro Ignácio Rangel que trouxe o tema: “A importância da política pública de ciência, tecnologia e inovação para o desenvolvimento do maranhão e do Brasil”, palestra proferida pelo Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do governo do Estado, Jhonatan Almada. A programação aconteceu no Campus de Açailândia na última segunda-feira e reuniu acadêmicos e convidados da cidade que debateram os panoramas para o desenvolvimentos acadêmico, social e econômico do estado.

Na manhã do dia 20, aconteceu o lançamento das primeiras obras que integrarão a Biblioteca Básica Maranhense. O palco do evento foi o auditório da UEMASUL, que reuniu alunos da universidade, professores de instituições de ensino públicas e privadas e ainda os autores dos livros, que após o lançamento, foram distribuídas e autografadas. Alguns exemplares dos 4 volumes foram destinados à biblioteca da UEMASUL.

O professor João Batista Ericeira, escritor do volume 4, intitulado “A empresa de economia mista e o desenvolvimento do Maranhão”, explicou sobre a obra e os dados nela contidos, que fazem um panorama sobre empresas de economia mista no estado na década de 1970 e quais impactos tiveram na vida das pessoas. Sobre a BBM, falou que “serve para interpretar a realidade do Maranhão, e não somente interpretar, mas refletir sobre isso, agir e mudar”.

Já Raimundo Palhano, autor da obra “A produção da coisa pública”, demonstrou felicidade em ver o livro reeditado, pois há muito tempo a primeira edição se esgotou. Além disso, comentou sobre a época em que foi escrito e apontou que algumas coisas até hoje não mudaram. “O livro foi escrito há mais de 30 anos, em um período que pensar em cidadania era uma aspiração revolucionária. É incrível perceber medidas ainda em vigor”.

O secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Jhonatan Almada, que também escreveu uma das obras, colocou a Biblioteca Básica Maranhense como um instrumento para pensar o Maranhão, conhecer os desafios e encontrar caminhos para superá-los. Deixou claro que outros títulos estão sendo selecionados para compor a BBM, que pode chegar a ter 100 livros.

De exemplar autografado na mão, a aluna de Letras-Inglês, Monythele de Sousa, destacou que o mais interessante sobre a iniciativa é o conhecimento sobre o estado. “Às vezes é mais difícil ter acesso à estudos e livros sobre o Maranhão, e uma iniciativa dessas dá uma possibilidade muito grande de conhecimento sobre o estado. O evento foi maravilhoso, e conhecer os autores e ouvir de cada um sobre os livros já nos dá uma compreensão melhor”.

A última atividade foi a oficina para a Cátedra Ignacio Rangel da UEMASUL, que discutiu o plano de atividades para o período 2017-2018. Os professores Dr. Jhonatan Almada, Dr. Rossini Corrêa, Dr. João Ericeira, Dr. Raimundo Palhano, Dr. Luiz Fernando de Paula e Dr. Elias Jabbour foram os mediadores da atividade que reuniu representantes de diversas instituições de ensino de Imperatriz. “Aprovamos na primeira reunião do Conselho Universitário a criação da cátedra na UEMASUL, agora estamos dando os primeiros passos para a sua efetivação”, afirmou Elizabeth Nunes Fernandes, reitora da UEMASUL.

Ligado à Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), o Centro Rangel tem ainda o objetivo de apoiar e difundir a obra de Ignácio Rangel através de programas, projetos e eventos e constituir acervo de memória oral sobre os temas afins do Centro: economia, educação, ciência e questões agrárias e territoriais do Maranhão. A produção de pesquisa no âmbito do Centro se dará por meio de uma política de fixação de recém-doutores nas três grandes instituições de pesquisa do Estado – UEMA, UEMASUL e UFMA.

UEMASUL recebe novo laboratório de informática para campus de Açailândia

A Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão foi instituída através da lei nº 10.525, porém a sua consolidação passa por uma série de ações integradas do Governo do Estado. Ainda no início do ano, a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), assinou um termo de cooperação com a UEMASUL, que tem garantido avanços importantes para que a mais nova universidade do Brasil pudesse de fato representar um novo contexto social e educacional em nosso estado.

Em agenda de trabalho na região tocantina, o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Jhonatan Almada, inaugurou em Açailândia um novo laboratório de informática para a UEMASUL. “Uma de nossas prioridades é apoiar a consolidação da instituição, e nesse sentido, nós fizemos a doação de um laboratório de informática completo para o campus de Imperatriz e agora estamos inaugurando o de Açailândia”, disse o secretário.

Apoiar a regionalização da educação superior foi um compromisso de campanha de Flávio Dino, hoje uma força tarefa foi formada pelas secretarias do governo tem honrado este compromisso. “E nossa missão, enquanto secretaria, é contribuir para a consolidação da UEMASUL. Uma das formas dessa contribuição é apoiar o processo de modernização tecnologia e de condições de infraestrutura laboratorial para os cursos que aqui acontecem”, enfatizou Jhonatan Almada. O laboratório conta com 22 computadores completos, um investimento de R$ 100 mil que inclui também os mobiliários.

De acordo com Elizabeth Nunes Fernandes, reitora da UEMASUL, o comprometimento da SECTI tem sido fundamental para que a instituição cumpra a sua vocação. “Sem este valoroso apoio, talvez fosse necessário 3 ou 4 meses, no mínimo, para comprar e instalar este laboratório. Mas nossas demandas são urgentes e por mais que estejamos pensando uma Universidade para os próximos 100 anos, ainda precisamos nos preocupar com a formação dos alunos hoje”, afirmou a reitora.

Jhonatan Almada informou que a secretaria também está trabalhando na implantação de internet de banda larga para os campi de Açailândia e Imperatriz e o trabalho já está em fase de planejamento de implantação da rede. “A primeira etapa deve ser encerrada neste mês de junho para que, no segundo semestre, iniciemos o processo de definição de datas e implantemos a Rede de Internet gratuita do Maranhão, Maranet, o que vai permitir a conexão do campus de Açailândia e Imperatriz à Rede Nacional de Ensino e Pesquisa”, concluiu.