UEMASUL se reúne com analistas da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e da Parnaíba

O Vice-reitor da UEMASUL, professor Expedito Barroso esteve reunido com analistas em desenvolvimento regional da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e da Parnaíba (Codevasf) na última quinta-feira (28). Também participaram da reunião a diretora do Centro de Ciências, Agrárias Mauricélia Ferreira Almeida e a diretora do curso de Engenharia Agronômica, Anatércia Ferreira Alves.

A Codevasf é uma empresa pública vinculada ao Ministério da Integração Nacional, que fomenta ações nas regiões ribeirinhas dos rios São Francisco e Parnaíba e seus afluentes, nos estados de Minas Gerias, Bahia, Pernambuco, Alagoas, Distrito Federal, Goiás, Sergipe, Piauí e Maranhão com a utilização sustentável dos recursos naturais. A empresa já atua na área das bacias dos rios São Francisco e do Parnaíba, e há algum tempo vem atuando também nos rios Mearim e Itapecuru e agora irá ampliar seu trabalho atuando na bacia do Tocantins.

Durante a reunião o analista da empresa, Ricardo Barros falou sobre o objetivo da visita. “Nossa proposta é verificar a potencialidade da região para a agricultura irrigada e buscar estratégias de fomento. A gente entende que a agricultura irrigada traz uma série de benefícios, traz empregos, traz uma distribuição de renda, favorece o agronegócio, diminui a pressão sobre o meio ambiente, uma série de vantagens”.

O objetivo é trabalhar a irrigação dentro de uma cadeia para potencializar os benefícios da irrigação, aumentando a oferta de produtos, reduzindo os riscos, melhorando o comércio e dessa forma gerando desenvolvimento regional, com a aplicação de novas tecnologias, diversificação de culturas, recuperação de áreas degradadas, capacitação, entre outras ações. Os analistas já fizeram estudos na região identificando as principais cadeias produtivas com suas especificidades, como o clima e incidência de chuva.

Para o analista Paulo Cerqueira existe a necessidade do investimento e da parceria em decorrência da potencialidade da região. “O cerrado brasileiro tem muita água e muito solo e vai alimentar o mundo. A gente sabe da potencialidade que tem aqui e da potencialidade do que tem aqui para a nossa empresa. O Maranhão é o único estado do Nordeste que não tem semi-árido, então, tem uma potencialidade natural inerente muito boa”.

A UEMASUL vai elaborar um acordo de cooperação técnica, contribuindo também para o diagnóstico dos municípios onde a Codevasf vai começar o seu trabalho, mapeando as cadeias produtivas e indicando culturas regionais. ”Dessa forma a UEMASUL cumpre sua missão que é formar técnicos nessa área das ciências agrárias, permitindo uma extensão importante para a região, obviamente além dessas cadeias produtivas, as outras que já são cadeias medianamente consolidadas, cadeia pecuária leiteira, cadeia da piscicultura, e cadeia da mandioca, cumprindo assim sua missão institucional que é promover o desenvolvimento sustentável formando recursos humanos tanto de natureza técnica, como também fazendo uma ação de assistência técnica de extensão rural importante para a nossa região”, afirmou o  Vice-reitor Expedito Barroso.

UEMASUL participa do Congresso Brasileiro de Extensão Universitária

Realizada entre os dias 28 e 30 de junho, em Natal (RN), a 8ª edição do Congresso Brasileiro de Extensão Universitária (CBEU) reuniu coordenadores, professores, especialistas e estudantes que integram o quadro de ações extensionistas das Universidades Brasileiras. Organizado a cada dois anos, o CBEU é o maior encontro brasileiro de extensão universitária em Instituições Públicas de Ensino Superior. A UEMASUL esteve presente pela primeira vez no evento, com participação nas mesas de debates e na exposição de trabalhos.

Com o tema “Extensão e sociedade: contextos e potencialidades”, o congresso pomoveu discussões atuais sobre a extensão universitária e sua relação com a sociedade. Entre as diversas temáticas trabalhadas nas mesas redondas, painéis e cirandas de saberes, se destacaram as discussões sobre direitos humanos, desenvolvimento sustentável, economia solidária e gênero e sexualidade. Nas discussões que envolveram diretamente as ações de extensão nas universidades, foram debatidos contextos e potencialidades da extensão, sua interiorização e internacionalização, as relações entre extensão e tecnologia e as ações voltadas para comunidades historicamente excluídas dos projetos de extensão.

Para a professora Nice Rejane Silva, coordenadora do Programa de Formação de Docentes da UEMASUL, esta primeira participação da instituição possibilita a reflexão e o fortalecimento das ações de extensão da Universidade. “O encontro traz o reconhecimento imperativo de que esses conhecimentos gerados pela extensão são tão iguais aos conhecimentos gerados pela pesquisa e ensino. A UEMASUL é uma universidade extremamente jovem, está construindo seu percurso, e a extensão assume um papel significativo, principalmente porque estamos em um estado, em uma região em que os indicadores sociais e econômicos demonstram que a universidade deve ter uma articulação profícua com os movimentos sociais, com os grupos socialmente excluídos, no sentido de melhoramento da qualidade de vida das pessoas”, ressaltou.

Outra discussão proposta pelo CBEU tratou da curricularização da extensão nas universidades, temática que também foi debatida no Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Instituições de Educação Superior Brasileiras (FORPROEX), evento que antecedeu o Congresso. Sobre o assunto, a professora Patrícia Alves, coordenadora de Projetos Pedagógicos da UEMASUL, classificou como extremamente relevante as discussões feitas tanto no CBEU quanto no FORPROEX. “A extensão é um dos tripés que equilibra a universidade, ela é responsável por essa relação com a sociedade, com a comunidade. Não existe a universidade na perspectiva democrática sem a extensão. Então, essa clareza de discussões que estes eventos vêm provocando, bem como o que eles têm construído de política de extensão nesse país, é muito importante para nós enquanto instituição. Penso que foi um ganho muito grande para toda a equipe da UEMASUL que esteve presente nos dois eventos”

A professora também comentou sobre as experiências de outras universidades do nordeste acerca da curricularização que poderão servir de modelo para a UEMASUL. “Nós temos duas universidades que as experiências delas de curricularização nos aproximou e que observamos que é possível implementar estas experiências aqui, são elas a Universidade Federal do Ceará (UFC) e a Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN). Estas experiências destas universidades podem contribuir com nosso processo de curricularização, podem servir para nós criarmos a nossa forma de curricularizar e de fazer extensão na Região Tocantina do Maranhão”, enfatizou.

CIENTEC

Simultaneamente ao CBEU, aconteceu, na Praça Cívica da UFRN, a Semana de Ciência, Tecnologia e Cultura, a CIENTEC 2018, que trouxe nesta edição o tema “UF e RN do ontem ao amanhã – 60 anos de evolução”. Dividida em três eixos (Feira da Cientec, Reunião Acadêmico-Científica e Cientec Cultural), o evento abrigou diversas atividades voltadas para a comunidade acadêmica e público em geral. Os alunos do curso de Engenharia Florestal da UEMASUL, Eloar Nascimento, Beatriz Cássia Diniz e Kayro Marinho, participaram da exposição de Pôsteres, apresentando alguns dos trabalhos de extensão desenvolvidos na UEMASUL.

Eloar, que apresentou o trabalho “Arborização Urbana: contribuindo com a melhoria da qualidade de vida dos moradores do residencial Sebastião Régis no município de Imperatriz-MA”, relatou com entusiasmo a sua experiência na CIENTEC. “Foi muito bom participar, principalmente por poder conhecer outros projetos, ter contato com outras pessoas e acredito que isso vá fazer com que eu volte para Imperatriz com novas ideias, pensando em novos projetos. Eu já desenvolvo meu trabalho desde o ano passado, então foi uma satisfação muito grande apresentar ele aqui”.

Beatriz e Kayro apresentaram, respectivamente, os trabalhos “Importância da preservação e conservação da mata ciliar no Rio Tocantins: uma nova etapa” e “Tecnologia na educação superior: o letramento digital como processo de capacitação e qualificação de recursos humanos (professores) na utilização das mídias computacionais e de interatividade”.

O CBEU e a CIENTEC foram encerradas na noite de sábado (30), com shows musicais, apresentação de grupos de dança e outras atrações culturais.

UEMASUL instala equipamento de alta tecnologia

Foi instalado nas últimas semanas no laboratório de Química Ambiental da UEMASUL o equipamento ICPE-9000 Espectrômetro de Plasma por Emissão Atômica. O aparelho, de alta qualidade tecnológica vai aprimorar ainda mais as pesquisas na universidade. Os professores pesquisadores receberam um treinamento do técnico da empresa fabricante, Shimadzu do Brasil sobre sua utilização e funcionamento,  que será repassado aos acadêmicos (as).

O espectrofotômetro de plasma, que tem capacidade para analisar 71 elementos da natureza entre metais e não metais foi adquirido há quase cinco anos, mas, só agora foi instalado e ativado. Isso só foi possível graças à autonomia financeira e administrativa da UEMASUL, sempre voltada para o desenvolvimento de uma educação superior de qualidade, baseada no avanço da ciência e da tecnologia. O espectrofotômetro será utilizado para atividades de ensino, pesquisa e extensão. Por se tratar de um aparelho com elevado custo de manutenção e operação sua utilização será controlada pela coordenação do Laboratório de Química Ambiental.

O equipamento apresenta-se como uma das principais técnicas analíticas para proceder à determinação quantitativa elementar em matrizes biológicas, tanto para amostras de origem animal como vegetal, clínicas, geológicas, ambientais, ligas metálicas e orgânicas, com a utilização do gás argônio.

Segundo o professor Jorge Diniz de Oliveira, o espectrofotômetro é multifuncional em várias áreas de pesquisa. “Ele é uma ferramenta a mais, que a partir de agora está disponível em nossa instituição, e faz uma análise bem mais interessante do que as análises normais ou triviais de laboratório. Eu posso trabalhar análise de água, análise de alimentos, análise de solo, contemplando vários cursos dentro da nossa universidade. De um modo geral ele trabalha tudo isso e a gente determina todos os metais e não metais existentes nas amostras”.

UEMASUL sedia lançamento de editais de internacionalização

A Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão recebeu na segunda-feira (25), o secretário adjunto da secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do estado do Maranhão (SECTI), Pedro Igor Nascimento e Alex Oliveira de Souza, presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), para o lançamento dos editais: Estágio Nacional, Estágio Internacional e Cooperação Internacional.

Os três editais visam estimular a realização de estágios de curta duração em parceria com instituições de ensino superior (IES) e pesquisa e/ou empresas localizadas dentro e fora e no Brasil, apontando o aperfeiçoamento profissional e a experiência nacional e internacional de estudantes de graduação, mestrado e doutorado. A programação contou também com o painel: Internacionalização acadêmica na UEMASUL: desafios e perspectivas, que debateu a internacionalização na UEMASUL e as ações do Governo do Estado.

Para o acadêmico de Ciências Biológicas da UEMASUL, Rafael Mendes, a abertura dos editais representa novas oportunidades que os discentes e docentes das instituições, para aperfeiçoarem a aprendizagem . “Acredito que seja mais uma chance que nós estudantes e os professores estamos tendo, para concorrer a essa experiência dos intercâmbios e estágios em regiões do Brasil e em outros países”, declarou.

O Presidente da FAPEMA, Alex Oliveira, ressaltou a relevância do lançamento dos editais de internacionalização para a comunidade científica do Maranhão. “Precisamos nos relacionar com outros pesquisadores de diferentes regiões do mundo, que tem perspectivas semelhantes com as pesquisas do Maranhão, de forma que possamos crescer com as pesquisas. O intuito é motivar os pesquisadores a buscar novos conhecimentos e ampliar os horizontes no mundo”, afirmou.

O secretário adjunto da SECTI, Pedro Igor Nascimento destacou o crescimento dos números de vagas e recursos destinados aos estágios e intercâmbios, e comentou sobre os investimentos do Governo do Maranhão na área da pesquisa científica e inovação tecnológica. “A gente entende que essa é uma área importante para ser fortalecida dentro das universidades. Há muito pouco tempo atrás pensar num ensino superior no exterior era um sonho muito distante, que nem todo mundo tinha acesso, só os privilegiados. Hoje, a política do Governo do Maranhão é totalmente oposta a isso, de oferecer oportunidades para todo mundo, de todas as classes sociais”.

A internacionalização acadêmica tem dominado a agenda de instituições públicas e privadas e, ao se investir na internacionalização do ensino superior, o que se busca, além do compartilhar de experiências acadêmicas com instituições nacionais e estrangeiras, é quebrar as barreiras do regionalismo para inserção no mundo global.

O lançamento dos editais foi bastante simbólico para a UEMASUL conforme declarou a Reitora Elizabeth Nunes Fernandes. “Trata-se de um evento que demonstrou mais uma vez o nível de investimento do Governo do Estado por meio da SECTI e FAPEMA, tratando da temática da Internacionalização. O painel sobre o processo de implantação das primeiras ações Internacionalização da UEMASUL foi de extrema importância para socializarmos com a comunidade e demais instituições educacionais presentes. Foi um grande evento”.

Acesse os editais:

Estágio Internacional

Estágio Nacional 

Cooperação Internacional

UEMASUL participa de Encontro Nacional de Pró-Reitores em Natal

A 43ª edição do Encontro Nacional do Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras (FORPROEX)  teve como objetivo propor políticas e diretrizes que permitam a institucionalização, a articulação e o fortalecimento de ações comuns das Pró-Reitorias de Extensão, além de incentivar o desenvolvimento da informação, avaliação, gestão e divulgação das ações de extensão realizadas pelas Instituições de Ensino Superior Públicas Brasileiras.

O evento teve início no dia 25 de junho, em Natal, RN, e foi organizado em conjunto pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN),  a Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), Universidade Federal Rural do Semi-árido (UFERSA) e o Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN). Nesta edição, o tema central foi “Gerir desafios, gerar resultados”.

Em sua primeira participação no Fórum, a UEMASUL foi representada pela Pró-Reitora de Gestão e Sustentabilidade Acadêmica, Regina Célia Costa Lima; professora Nice Rejane Oliveira, coordenadora do Programa de Formação de Docentes e professora Patrícia Alves Silva, coordenadora de Projetos Pedagógicos.

A programação contou com reuniões e mesas de debates, tendo como pontapé inicial a discussão “Extensão: pilar da universidade e da democracia”, seguido das mesas que debateram os temas “Extensão em movimentos” e “A curricularização da extensão e seus desdobramentos”. Também foram discutidas as políticas extensionistas voltadas para populações historicamente marginalizadas e a articulação de ações propositivas para o fortalecimento da extensão nas universidades frente à atual conjuntura política do país.

Para a Pró-Reitora Regina Célia, esta primeira participação no FORPROEX representa a possibilidade de construção de soluções conjuntas a partir dos problemas comuns entre as universidades públicas, provocando reflexões sobre a atual situação da Extensão Universitária Brasileira. Ela destacou  a relevância das discussões feitas durante o encontro. “Estão aqui debates que são muito atuais, como a questão da curricularização da extensão, que é uma questão presente, legal, está no PNE (Plano Nacional de Educação) e nós temos que fazer isso. Então é necessário que estejamos aqui participando em conjunto com as demais universidades do Brasil, procurando condições de construir caminhos diante da conjuntura que está aí imposta para todas as universidades”.

Marilisa do Rocio Oliveira, eleita presidente do FORPROEX em 2017, acredita que o encontro representa um momento importante de visibilidade da extensão nas universidades. “A extensão se apresenta como uma forma das universidades mostrarem o que fazem, para que vieram. Essas discussões, feitas aqui no FORPROEX, buscam perspectivas, já que temos ao final do encontro a elaboração de uma carta de intenções que nós procuramos colocar em prática nas nossas instituições para depois analisar os resultados e compartilhar nos diversos Fóruns”.

O evento foi encerrado com a elaboração da Carta-Manifesto de Natal, a eleição e posse das coordenações nacional e regionais da gestão 2018-2019, além da escolha da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) como sede do próximo encontro, que ocorre no segundo semestre de 2018.

Abertas inscrições para a Universidade Aberta à Terceira Idade (UATI) da UEMASUL

Estão abertas as inscrições para o programa Universidade Aberta à Terceira Idade (UATI), da  Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL). O Programa de Extensão da UEMASUL organizado por meio de cursos não regulares, é destinado a promover integração social e educacional, em prol da qualidade de vida da pessoa idosa.

As inscrições contemplam pessoas com 60 anos ou mais da comunidade externa à UEMASUL. Os interessados deverão realizar sua inscrição, preenchendo o formulário que se encontra em anexo ao Edital nº 10/2018, no sítio da instituição, que deverá ser entregue na Coordenação de Sustentabilidade e Integração Social – CSIS, no período de 25 de junho a 25 de julho de 2018, das 8h às 12h e das 14h às 17h.

As políticas de extensão fazem parte de um processo interdisciplinar, educativo, cultural, científico e político que promove a interação transformadora entre a universidade e outros setores da sociedade, contribuindo para o desenvolvimento da região Tocantina. A Resolução de criação e regulamentação da Universidade Aberta à Terceira Idade foi discutida e aprovada pelo Conselho Universitário da UEMASUL no último dia 13 de junho de 2018.

O programa Universidade Aberta à Terceira Idade é vinculado à Pró-Reitoria de Gestão e Sustentabilidade Acadêmica (PROGESA), e tem a finalidade de proporcionar uma melhor qualidade de vida física e mental, possibilitando ao idoso o aprendizado em áreas de interesse. Qualquer pessoa com idade igual/superior a 60 anos poderá ser aluno da Universidade da Terceira Idade.

Para a Reitora Elizabeth Nunes Fernandes, a universidade para a terceira idade é um grande programa do ponto de vista social. “É um programa belíssimo, se criam muitas amizades, os idosos ficam informados dos seus direitos, se sentem incluídos na sociedade. É uma grande troca, onde eles aprendem e ensinam”.

O objetivo principal da universidade da terceira idade é priorizar as potencialidades do idoso por múltiplas ações, garantindo uma melhoria da qualidade de vida, por meio do acesso aos recursos educacionais e socioculturais existentes na UEMASUL, estimulando o exercício intelectual e reflexivo com diferentes atividades artísticas, corporais, criativas, expressivas e produtivas.

A Pró-Reitora de Gestão e Sustentabilidade Acadêmica Regina Célia Costa Lima destaca que a universidade media essa construção de saberes. “A universidade é como uma ponte que possibilita a mediação e construção de saberes com a sociedade, por meio de suas demandas. Seu propósito é continuar desenvolvendo as atividades extensionistas, de forma mais ampla e intensa”.

Inscrições para a Semana de Ciência, Tecnologia e Inovação 2018 vão até 03 de julho

O tema deste ano é “Ciência para a redução das desigualdades”. O edital visa selecionar propostas para realização de atividades na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia/Semana Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (SNCT/2018), que será realizada em São Luís – MA, nos dias 16 a 20 de outubro. Com o objetivo de dar visibilidade à produção de conhecimento local.

As atividades a serem propostas podem ser nos seguintes formatos, pôster, conferência-palestra, mini-curso, workshop, mesa redonda, mostra científica, lançamento de livros e oficinas. Todas as propostas deverão informar a área e subárea de conhecimento no momento da submissão, para direcionar os trabalhos à Comissão Julgadora.

Os proponentes que se encaixam na descrição do edital, interessados em enviar propostas, devem fazer a inscrição exclusivamente pelo site  preenchendo todos os requisitos do formulário de inscrição, até o dia 03 de julho.

As propostas enviadas serão avaliadas por uma Comissão Julgadora constituída pela Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) de acordo com a área e subárea de conhecimento. Os critérios de avaliação são: aderência ao tema; pesquisa financiada pela FAPEMA; contribuição para a melhoria do IDH; e não enquadramento nos critérios anteriores.

O resultado das propostas selecionadas será divulgado no dia 09 de agosto às 19:00, no mesmo site de realização da inscrição. Os melhores pôsteres e melhores trabalhos apresentados na Mostra Científica serão premiados com troféu e certificado por área de conhecimento.

UEMASUL firmará parceria com Organização Pan-Americana de Saúde para implantar o curso de medicina

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) é um organismo internacional de saúde pública com um século de experiência, dedicado a melhorar as condições de saúde dos países das Américas. A Organização exerce um papel fundamental na melhoria de políticas e serviços públicos de saúde, por meio de parcerias e convênios, em um trabalho de cooperação internacional promovido com governos, instituições de educação e organização não-governamentais.

No Maranhão, a entidade já trabalha em parceria com o Governo do Estado em um programa de cooperação técnica em apoio ao projeto de Estruturação da Atenção à Saúde. A entidade tem contribuído com a criação da nova graduação desde as primeiras tratativas, que avaliavam a viabilidade do curso de Medicina da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão. “Fomos recebidos no escritório da OPAS em Washington durante uma missão internacional onde conhecemos as experiências da Faculdade de Medicina da Universidade do Novo México em Albuquerque (USA), e da Escola Latino-Americana de Medicina de Havana (Cuba)”, afirmou Elizabeth Nunes Fernandes, reitora da UEMASUL.

Uma vez que assinarem um termo de cooperação, a OPAS contribuirá com ações estratégicas de colaboração internacional no planejamento e implantação do curso. “Esta proposta do Estado do Maranhão e da UEMASUL está diretamente ligada com a vocação da OPAS na formação e qualificação de profissionais da saúde, principalmente em regiões que mais necessitam de melhorias nas políticas públicas de saúde”. Afirmou Joaquín Molina, representante da OPAS/OMS no Brasil, que recebeu a reitora Elizabeth Fernandes, acompanhada da presidente da comissão de implantação do Curso de Medicina, Sheila Araújo e da Assessora Especial da Secretaria Extraordinária de Articulação de Políticas Públicas do Estado, Ana Lúcia Nunes. semana passada, em Brasília.

O NOVO CURSO

Enquanto o projeto de lei que cria o Centro de Ciências da Saúde (CCS) tramita na Assembleia Legislativa do Maranhão, a comissão de implantação do curso de Medicina antecipa o mapeamento de campos de estágio na região Tocantina. A proposta é que, mesmo estando sediado em Imperatriz, o curso envolva os 22 municípios de abrangência da UEMASUL em suas atividades acadêmicas.

Após a aprovação da lei, outros dois passos serão decisivos para a criação do curso de medicina: a aprovação no Conselho Universitário da UEMASUL e o reconhecimento por parte do Conselho Estadual de Educação (CEE). “Diferente das universidades federais e particulares, que estão regidas pelo MEC, a criação dessa nova graduação depende somente da autorização do CEE”, afirmou Sheila Araújo, presidente da comissão de implantação, que completou: “Temos um caminho longo a percorrer, pois uma iniciativa dessa natureza requer muito trabalho e dedicação para que ao fim deste processo, tenhamos um resultado à altura dos anseios de nossa população”.

UEMASUL implanta biblioteca virtual

A Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão, promoveu na última quinta-feira (21), uma reunião com a empresa de educação Pearson, para discutir o processo de implantação da biblioteca virtual. A bibilioteca possui um acervo de livros digitais composto por mais de 6.000 títulos de diversas editoras e áreas do conhecimento, e é uma iniciativa pioneira na instituição.

Por meio de uma plataforma os docentes e discentes poderão acessar as obras de diferentes áreas a qualquer hora. A Pearson é uma empresa multinacional de publicação e educação, focada em ajudar estudantes e professores disponibilizando materiais para estudos.

A Executiva de Vendas Universidades da Pearson, Erika Pumar, ressaltou a importância desta parceria com a UEMASUL. “Esse projeto e a parceria com a instituição é bastante significativa no aspecto pedagógico, pois os estudantes e professores terão acesso ao acervo de livros específicos de diferentes áreas”, afirma.

O Vice-Reitor Expedito Barroso explicou a importância da implantação da biblioteca virtual na UEMASUL . “A Uemasul, no processo de proporcionar todas as condições necessárias para atender a  infraestrutura pedagógica e para o funcionamento dos campis e dos cursos de graduação,  iniciou as tratativas de também ter uma biblioteca virtual, disponível ao corpo discente, docente   e técnicos administrativos. Recentemente concluímos esse processo administrativo, contatando a biblioteca virtual do grupo Pearce que tem milhares de títulos que ficarão disponíveis, para a consulta dos estudantes e impressão do material. Compramos mais de 2 mil licenças, no sentido de proporcionar essa complementação na formação discente”, finaliza.

De acordo com informações do Vice-Reitor, além da constituição da biblioteca virtual, com as inovações tecnológicas exigidas, a UEMASUL iniciou as negociações para instalação de  outras ferramentas pedagógicas com o grupo Pearson.